últimas notícias
Estação de Tratamento de Esgoto de Cordeirópolis, no interior de São Paulo
Estação de Tratamento de Esgoto de Cordeirópolis, no interior de São Paulo
Foto: Divulgação/Governo de SP

Governo paulista entrega Estação de Tratamento de Esgotos de Cordeirópolis

Unidade beneficiará cerca de 23,7 mil habitantes da Bacia do rio Mogi Guaçu com água de qualidade

O Governo de São Paulo entregou a Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) de Cordeirópolis, no interior paulista, no sábado (13). A obra foi executada pelo DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica), órgão ligado à Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (Sima), por meio do Programa Água Limpa e teve um investimento de R$ 20,9 milhões.

“Neste momento de pandemia, cada vez mais valorizamos a saúde e a qualidade de vida da população. É com muito prazer que o Governo de São Paulo entrega essa importante obra para que Cordeirópolis seja um município 300%: 100% água tratada, 100% esgoto coletado e 100% esgoto tratado”, disse Marcos Penido, secretário da Sima.

O Superintendente do DAEE parabenizou a cidade pelo início das operações da nova ETE. “É um orgulho para o DAEE entregar uma obra do Programa Água Limpa para um município tão importante para o Estado”, disse o superintendente do DAEE, Francisco Eduardo Loducca

A inauguração foi marcada pelas festividades em comemoração ao 72° aniversário de Cordeirópoli. O prefeito da cidade, Odinan Ortolan, lembrou da importância dos esforços do Governo do Estado, DAEE e município para a execução da ETE.

“Recebemos hoje uma obra histórica, que fortalecerá nosso compromisso com o saneamento básico e sustentabilidade com o meio ambiente. Nossas nascentes, munícipes, rios e todo ecossistema agradecem pelos esforços de todos. Em nosso aniversário, comemorado hoje, dia 13 de junho, não existiria presente melhor”, afirmou Ortotan.

A ETE de Cordeirópolis tem capacidade para tratar o esgoto de 100% do município beneficiando mais de 23,7 mil moradores (população prevista para 2030). A Estação permite a revitalização do ribeirão Tatu, da bacia do rio Mogi Guaçu, com a remoção de aproximadamente 43 toneladas/mês de carga orgânica proveniente do esgoto doméstico lançado “in natura”. A ETE tem também um importante papel como agente de prevenção na saúde, reduzindo o risco de disseminação de doenças hídricas.

 

Comentários

Tops da Gazeta