últimas notícias
O aumento no número de divórcios durante a pandemia já era esperado, visto que o mesmo ocorreu  em outros países
O aumento no número de divórcios durante a pandemia já era esperado, visto que o mesmo ocorreu em outros países
Foto: HayDmitriy

Pedidos de divórcios crescem 5 vezes no Estado durante a quarentena

No Brasil, houve um salto de 9900% na busca pelo termo "divórcio online gratuito" no Google

Os pedidos de divórcio quintuplicaram no estado de São Paulo durante a quarentena, segundo dados da plataforma online Divórcio Consensual, site que une advogados a pessoas que querem agilizar os pedidos de separação. Para a advogada Debora Ghelman, especialista em Direito Humanizado nas áreas de Família e Sucessão, o aumento no número de divórcios durante a pandemia já era esperado, visto que o mesmo fenômeno foi observado em países afetados pelo novo coronavírus antes do Brasil.

Na China, primeiro país a identificar casos de Covid-19 e a implementar o isolamento social, os pedidos de separação registraram números recordes. Por aqui, entre os dias 13 e 29 de abril, houve um salto de 9900% na busca pelo termo “divórcio online gratuito”, revela o Google Brasil. No levantamento, que abrange todo o País, a pergunta “como dar entrada em um divórcio” registrou aumento de 82%.

“O isolamento forçado decorrente da pandemia gerou o aumento do convívio entre os casais. Obviamente, quanto maior o convívio entre as pessoas, maiores são as chances de haver mais conflitos. Além disso, as pessoas estão mais abaladas emocionalmente por conta de toda a crise financeira e social causada pela pandemia”, argumenta a advogada.

MULHERES PEDEM MAIS DIVÓRCIOS

Ainda de acordo com Debora, no Brasil, as mulheres respondem pela maior parte dos pedidos de divórcio, em torno de 70%, característica que também é observada na plataforma Divórcio Consensual. “Grande parte das pessoas que buscam os pedidos de separação na Divórcio Consensual são mulheres, na faixa etária de 35 a 50 anos”, diz Amaro Monteiro, fundador do site.

Violência e sobrecarga de trabalho estão entre os motivos que levam as mulheres a quererem a separação. “Elas ficam sobrecarregadas com a tripla jornada de trabalho (trabalhar fora, cuidar dos filhos e de seus lares). Infelizmente, durante a pandemia, outro motivo é o aumento de 50% dos casos de violência doméstica (física e psicológica) em relação às mulheres brasileiras, o que acaba gerando a separação de muitos casais”, explica Debora.

RELACIONAMENTO SAUDÁVEL

Mesmo que muitos casais estejam inflando as estatísticas de separação durante a pandemia, na opinião da terapeuta Bia Sant’Anna, professora de cursos de pós-graduação no Centro de Terapia Cognitiva Veda, o divórcio não precisa ser a única resposta para o maior tempo de convívio. Para ela, focar no presente e continuar alimentando o relacionamento são saídas mais harmoniosas para os casais em tempos de pandemia.

“O relacionamento precisa ser nutrido romanticamente, afetivamente, sexualmente, mas de uma forma adaptada. Os jantares, cinemas, saídas com os amigos precisaram ser reformulados, mas devem continuar existindo. É hora de usar a criatividade e, acima de tudo, priorizar o diálogo”, finaliza.

EM MARÍLIA.

Na contramão do que tem acontecido com boa parte dos casais durante a quarentena, um casal de Marília, no interior paulista, entrou com uma liminar na Justiça para conseguir realizar a tão sonhada cerimônia de casamento.

Evelen Sylviane Camargo e Abdyel Tavares Brilhante já haviam cancelado a cerimônia uma vez. Inicialmente, o casamento estava marcado para março, mas, devido à pandemia, foi adiado para junho, data na qual os noivos acreditavam que a situação já estaria normalizada.

Para que a cerimônia não fosse adiada mais uma vez, eles resolveram recorrer à Justiça para garantir que a cerimônia não fosse interrompida pelas autoridades. Assim, no último dia 20, eles se casaram, seguindo todos os protocolos de segurança, como a diminuição do número de convidados, de 200 para 50, uso de máscaras e distanciamento social.

Comentários

Tops da Gazeta