últimas notícias
Geraldo Alckmin (PSDB) é ex-governador de São Paulo
Geraldo Alckmin (PSDB) é ex-governador de São Paulo
Foto: José Cruz/Agência Brasil

PSDB diz que Alckmin ‘jamais abriu mão dos princípios éticos’

Alckmin está sendo acusado pelo Ministério Público de receber R$ 11,3 milhões da Odebrecht durante as campanhas eleitorais de 2010 e 2014

Em nota divulgada após a Justiça acatar a denúncia do Ministério Público (MP) contra o ex-governador Geraldo Alckmin, o PSDB disse que Alckmin “manteve uma postura de retidão e respeito à lei sem jamais abrir mão dos princípios éticos e de seu compromisso”.

A denúncia acusa o tucano de corrupção passiva, caixa dois (falsidade ideológica eleitoral) e lavagem de dinheiro. Nesta quinta-feira (30), a Justiça Eleitoral de São Paulo aceitou a denúncia do Ministério Público (MP) e Alckmin tornou-se réu no processo

De acordo com a denúncia, Geraldo Alckmin recebeu R$ 11,3 milhões da Odebrecht durante as campanhas eleitorais de 2010 e 2014 ao governo do Estado pelo PSDB. O réu foi citado por três delatores do grupo.

O juiz Marco Antonio Martin Vargas, titular do 1º da Zona Eleitoral de São Paulo, foi o responsável por aceitar a denúncia. Na decisão, o magistrado disse que a denúncia tem "indícios suficientes de materialidade" dos crimes e de suas autorias.

Em nota, a defesa do ex-governador informou que “a denúncia ora recebida pelo Poder Judiciário dará a oportunidade que foi até agora negada ao ex-governador Geraldo Alckmin de se defender e de contraditar as falsas e injustas acusações de que está sendo vítima e, principalmente, de provar a sua improcedência”.

A defesa também acrescentou que Alckmin “nunca recebeu valores a título de contribuição de campanha eleitoral que não tenham sido devidamente declarados nos termos da legislação vigente, nem tampouco praticou qualquer ato de corrupção, como, aliás, nunca fez durante mais de 40 anos de vida pública”.

O PSDB, partido do ex-governador, demonstrou confiança em Alckmin. "O Diretório Estadual do PSDB-SP reitera sua confiança na idoneidade do ex-governador Geraldo Alckmin. Em seus mais de 40 anos de vida pública, Alckmin manteve uma postura de retidão e respeito à lei sem jamais abrir mão dos princípios éticos e de seu compromisso em servir ao setor público e ao cidadão. Acreditamos na Justiça e temos convicção de que, ao final do processo, os fatos serão devidamente esclarecidos. Marco Vinholi – Presidente Estadual do PSDB-SP"

O MP também afirmou que o ex-secretário do governo paulista e ex-tesoureiro do PSDB, Marcos Antônio Monteiro, intermediou os pagamentos de 2014. Em nota, a defesa do ex-secretário manifestou “sua absoluta indignação com os infundados fatos apresentados na denúncia, fruto da reiteração de procedimentos que visam atingir o direito de defesa e o contraditório. Tem absoluta confiança de que provará sua inocência, no momento em que for ouvido nos autos. Reitera, uma vez mais, sua confiança no Poder Judiciário para sustentar com absoluta convicção que Marcos Monteiro não tem qualquer relação com as obras realizadas pela Construtora Norberto Odebrecht".

Comentários

Tops da Gazeta