últimas notícias
Há mais de 50 comunidades reconhecidas como remanescentes de quilombos em São Paulo
Há mais de 50 comunidades reconhecidas como remanescentes de quilombos em São Paulo
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Quilombolas são retirados de grupo prioritário da vacinação contra Covid-19

Governo de São Paulo alega que grupo foi excluído porque a Anvisa não autorizou o uso emergencial da CoronaVac nesta população

O governo de São Paulo tirou os quilombolas do grupo prioritário de vacinação contra Covid-19. Agora, as mais de 50 comunidades reconhecidas como remanescentes de quilombos não têm mais data para início da imunização.

A população quilombola estava no grupo prioritário máximo, ao lado de profissionais de saúde e indígenas, de acordo com o plano publicado no início de dezembro pelo governo estadual.

Ao “G1”, a secretaria da Saúde informou, por telefone, que o grupo foi excluído da primeira etapa de vacinação porque a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não autorizou o uso emergencial da CoronaVac nesta população.

Entretanto, a agência reguladora nega a informação e diz que não há nenhuma restrição deste tipo na autorização concedida no último domingo (17).

Em 2020, quando o Plano Nacional de Imunização foi divulgado pelo Ministério da Saúde, este grupo também foi incluído nos grupos prioritários.

Ministério Público

Os líderes quilombolas de São Paulo afirmaram ao “G1” que foram pegos de surpresa quando ficaram sabendo da mudança nesta segunda-feira e que vão recorrer ao Ministério Público (MP).

O site "Vacina Já", lançado pelo governo estadual para o pré-cadastro de indivíduos que fazem parte dos grupos prioritários, não lista quilombolas na primeira fase da campanha.

Comentários

Tops da Gazeta