últimas notícias
Aulas presenciais são intercaladas com aulas on-line na rede estadual de ensino em São Paulo
Aulas presenciais são intercaladas com aulas on-line na rede estadual de ensino em São Paulo
Foto: Divulgação/Governo do Estado

Alunos do ensino médio terão uma aula a mais por dia em 2022

A partir de 2022, estudantes do ensino médio terão mais um tempo de aula por dia, totalizando 8 tempos diários; governo de SP também anunciou investimentos para unidades de ensino

Os alunos do 2º e 3º anos do ensino médio das escolas estaduais de São Paulo terão uma aula a mais por dia a partir do próximo ano. Atualmente, os estudantes dessas séries têm sete aulas por dia. A ampliação será para o turno diário e progressiva.

A partir de 2022, o 2º ano do ensino médio passará a ter 8 aulas diárias. E em 2023, para o 3º ano.
O governo João Doria (PSDB) aposta na ampliação do tempo dos alunos em sala de aula para mitigar os prejuízos de aprendizagem durante a pandemia.

A ampliação das aulas faz parte do novo currículo do ensino médio no estado, que começou a ser implementado neste ano para mais de 460 mil alunos matriculados na 1ª série dessa etapa.

A reforma do ensino médio foi aprovada em 2017, no governo Michel Temer (MDB), para todo o país, com a previsão de flexibilizar a formação do aluno. A gestão Jair Bolsonaro (sem partido) definiu que a implementação total do novo modelo deve ocorrer até 2024.

RECURSO

Na tarde desta terça-feira (20) o vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB) também anunciou investimentos de R$ 303,5 milhões para o ensino médio do estado de São Paulo e a contratação de até 10 mil professores para esta etapa de ensino.

As aulas presenciais não serão obrigatórias em agosto. Em setembro, cada escola pode reavalir.
Os recursos serão repassados as 3,6 mil escolas estaduais do Ensino Médio, via Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE-SP). Pelo programa, cada escola recebe a verba e pode direcioná-la de acordo com a necessidade local.

"Os recursos do PDDE-SP serão destinados para que todas as escolas estaduais do Ensino Médio possam ampliar e melhorar a infraestrutura oferecida para atender às propostas de aprendizagem. O montante será dividido em quatro categorias: Novo Ensino Médio, Laboratório de Ciências, Laboratório Maker e Mini-Estúdios", disse Rodrigo Garcia.

O valor mínimo para escolas pequenas é de R$ 10 mil, mas ele pode chegar a R$ 200 mil para escolas maiores. Cada escola pode dizer no Plano de Aplicação Financeira (PAF) em que pretende aplicar a verba.

Comentários

Tops da Gazeta