X

Segurança Pública

Alexandre Nardoni arruma emprego com salário de R$ 2,5 mil após progressão de regime

Justiça havia determinado que condenado apresentasse emprego lícito em até 90 dias

Natália Brito

Publicado em 10/06/2024 às 14:44

Atualizado em 10/06/2024 às 14:46

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Alexandre Nardoni sai da prisão após 16 anos em cárcere pelo assassinato da filha / Diego Padgurschi/Folhapress

Alexandre Nardoni, condenado a 30 anos de prisão por matar a própria filha, apresentou à Justiça sua nova ocupação profissional um mês após conseguir progressão de regime e sair da prisão.

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) exigiu que o condenado apresentasse um emprego em até 90 dias após a progressão do regime para se manter na rua. Nardoni abriu uma microempresa individual (MEI) e apresentou um contrato de prestação de serviços com a construtora do próprio pai.

Segundo o portal "Metrópoles", Alexandre vai ter remuneração de R$ 2,5 mil e trabalhar em formato híbrido (presencial e remoto), com direito a expediente mais curto às sextas-feiras - modalidade conhecida como “short friday”.

De acordo com o contrato, ele será “promotor de vendas de apartamentos novos e usados”. Entre as funções, Nardoni também prevê “supervisão e acompanhamento de obras novas ou já finalizadas” para “eventuais correções e reparos”.

Prestação de serviço

O acordo entre a microempresa de Nardoni e a construtora do pai começou na última sexta-feira (7).

Ainda de acordo com informações do contrato, a prestação de serviço acontecerá de segunda a quinta-feira, das 8h às 18h. Já às sextas, o expediente acaba uma hora mais cedo, às 17h.

A mulher de Nardoni, Anna Carolina Jatobá, também condenada pela morte de Isabella, foi testemunha do documento entre ele e a empresa do pai.

Condenação

Alexandre Nardoni foi condenado por assassinar a própria filha, Isabella, de 5 anos. A criança foi agredida e jogada de uma janela, no sexto andar de um prédio da zona norte de São Paulo, em 2008. Levado a júri popular, foi considerado culpado dois anos depois.

Nardoni nega ter cometido o crime até hoje e prepara ação para tentar anular sua condenação.

Ele foi preso na época do crime, e conseguiu reduzir 990 dias da sua sentença por trabalhar e participar de programas educacionais durante o período na cadeia. Entre os empregos, Nardoni atuou na faxina e na jardinagem da prisão.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nasceu em julho ou agosto?

Caixa libera abono do PIS/PASEP para trabalhadores nascidos em julho e agosto

Governo deve liberar R$ 4,5 bilhões para os benefícios, sendo R$ 3,9 bilhões para o PIS e R$ 613 milhões para o PASEP

Delação Premiada

Caso Marielle: STF julga esta terça denúncia dos mandantes envolvidos no crime

Ministros vão decidir se os suspeitos se tornarão réus por homicídio e organização criminosa; acusados estão presos desde março

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter