Publicidade

X
HOMENAGEM

Bruno Covas é homenageado em inauguração de centro contra câncer em SP

"Hoje é um dia difícil, mas não tenho dúvidas de que meu pai está orgulhoso, pois o principal objetivo da sua gestão era a saúde", afirmou o filho de Bruno

Publicidade

Reprodução/TV Globo

O prefeito Bruno Covas (1980-2021) recebeu homenagens nesta segunda (16), durante a inauguração de um centro de alta tecnologia em diagnóstico e intervenção oncológica que leva o nome do político, morto de câncer exatamente há um ano. A unidade pertence ao Hospital Municipal Dr. Gilson de Cássia Marques de Carvalho, na Vila Santa Catarina, zona sul de São Paulo.

A cerimônia teve participação do prefeito Ricardo Nunes (MDB) e do governador Rodrigo Garcia (PSDB), que assinou repasse de R$ 17 milhões. Estavam presentes também Gustavo Covas, irmão do antigo prefeito, e o tio dele, o ex-vereador Mário Covas Neto.

Tomás Covas, 16, filho de Bruno Covas e que mora em Nova York, acompanhou o evento de forma virtual e teve seu discurso transmitido em um telão. "Hoje é um dia difícil, mas não tenho dúvidas de que meu pai está orgulhoso, pois o principal objetivo da sua gestão era a saúde", afirmou.

"A inauguração desse centro é nossa homenagem a ele", disse Nunes, que chorou no seu discurso. "Fiz uma preparação psicológica, mas não consegui."

"Esse era o sonho do Bruno Covas, de dar à população que tivesse essa doença o mesmo tratamento que ele teve", afirmou Edson Aparecido, ex-secretário municipal da Saúde, que deixou a pasta no mês passado para tentar ser o vice na chapa de reeleição de Rodrigo Garcia, ele passou boa parte do evento ao lado do governador.

Covas fez tratamento contra o câncer no Hospital Israelita Albert Einstein, que gere o hospital municipal -também conhecido como Vila Santa Catarina- e que doou um robô de R$ 7 milhões para realização de cirurgias oncológicas e bariátricas.

"Os diagnósticos que ainda não puderem ser feitos aqui, por atrasos na importação de equipamentos, serão realizados na rede Einstein", afirmou Sidney Klajner, cirurgião do aparelho digestivo e presidente do Einstein.

Para operar o robô, a equipe passou por treinamento na unidade central do hospital privado, no bairro do Morumbi, na zona oeste. No local, existe uma plataforma com 12 robôs, sendo três deles para treinamento. De acordo com Klajner, a rede investiu R$ 46 milhões entre 2008 e 2018 na plataforma robótica.

Segundo a prefeitura, com a inauguração do centro oncológico na estrutura de alta complexidade do hospital, a cidade poderá cumprir a legislação federal de iniciar tratamento de câncer em até 60 dias.

De acordo com o secretário municipal da Saúde, Carlos Zamarco, o centro de alta tecnologia tem metas de atender 300 novos casos por mês (totalizando 10 mil atendimentos), realizar 8.000 exames de imagem e fazer 450 cirurgias mensais, além contar com farmácia de alto custo.

O centro oncológico tem 23 consultórios e 115 leitos de internação clínica e cirurgia oncológica, além dos 40 leitos para UTI.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Brasil

Saiba o que muda com a nova prova de vida do INSS

Comprovação deixa de ser presencial e baseia-se em cruzamento de dados

Mundo

Nicolas Vlavianos, que criou esculturas no Arouche e na Sé, morre aos 93 anos

Segundo sua filha, Myrine Vlavianos, o artista passou os últimos seis meses entre idas e vindas do hospital

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software