Publicidade

X

Estado

Cidades do Interior ficam sem banco após explosões

Bruno Hoffmann

Publicado em 28/03/2019 às 01:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Moradores de três cidades paulistas vivem a rotina de viajar a outros municípios em busca de serviços bancários, após agências serem destruídas por ataques de quadrilhas com explosivos. A situação, que afeta São Bento do Sapucaí e Boa Esperança do Sul, é mais grave em Sarutaiá, no sudoeste paulista. Alegando falta de segurança após um ataque, o Banco do Brasil fechou em 2017 aquela que era a única agência da cidade de 3,6 mil habitantes. A prefeitura foi à Justiça para pedir a reabertura, obteve decisão favorável, mas o banco entrou com um recurso.

De acordo com o assessor de comunicação Cristiano Amorim, moradores da zona rural e pessoas mais idosas de Sarutaiá não conseguem resolver o que precisam pelo celular ou no banco postal dos Correios. "A opção que sobra é viajar para cidades vizinhas, como Fartura e Pirajú, mas é quase um dia que se perde", ele conta. Segundo ele, até o comércio foi afetado. "As pessoas sacam o dinheiro nas agências de outra cidade e fazem as compras lá mesmo, prejudicando o comércio daqui." A agência foi atacada com explosivos em outubro de 2014 e não reabriu. Cansado de esperar, o dono colocou o imóvel à venda.

Em 2017, quando o banco anunciou o fechamento da agência, o prefeito Isnar Freschi Soares (PTB) entrou na Justiça com ação para que o serviço fosse mantido. Freschi alegou que a agência funcionava havia 40 anos e era essencial para o município. Em junho de 2018, o juiz Acauã Muller Tirapani, de Piraju, deu prazo de 60 dias para a reabertura, sob pena de multa diária. O BB recorreu e obteve efeito suspensivo da decisão. O julgamento do recurso não tem data prevista.

Em São Bento do Sapucaí, agências do Santander, Bradesco e BB foram atacadas no dia 11 de fevereiro último. As duas primeiras reabriram, mas a do BB continua fechada. Os usuários, entre os 10,8 mil moradores, têm à disposição um posto bancário no interior do Fórum, mas com funcionamento
limitado.

No último sábado (23), uma quadrilha fortemente armada atacou as agências do Bradesco, Santander e Caixa Econômica Federal em Boa Esperança do Sul, de 14,5 mil habitantes, também no Interior. (EC)

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

sorte grande

R$ 173 milhões! +Milionária sorteia premio acumulado; confira como apostar

No último sorteio nenhuma aposta acertou a combinação de seis dezenas e dois trevos; próximo sorteio será hoje (17)

ELEIÇÕES 2024

Análise: Nunes lidera em SP, mas se aproxima de teto no 1º turno

Segundo Instituto Badra, o emedebista dá sinais de ter atingido o seu teto para o primeiro turno; veja análise de todos os pré-candidatos

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter