X

GASTOS PÚBLICOS

Cotia tem a Câmara de Vereadores mais cara da região

Cada um dos 274.413 cidadãos cotienses precisou pagar R$ 171,17 em 2023 para bancar o legislativo municipal

Bruno Hoffmann

Publicado em 10/06/2024 às 18:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

A Câmara Municipal de Cotia, na Grande São Paulo / Divulgação

O município de Cotia tem a Câmara Municipal mais cara do Conisud (Consórcio Intermunicipal da Região Sudoeste da Grande São Paulo). Segundo o Tribunal de Contas do Estado (TCESP), a cidade gastou R$ 46,9 milhões em 2023 para manter o trabalho dos 15 vereadores da cidade.

Isso representa que cada um dos 274.413 cidadãos cotienses, de bebês a idosos, precisou pagar R$ 171,17 no ano passado para bancar o trabalho do legislativo municipal.

A situação vai ficar ainda mais onerosa a partir de 2025, quando a Câmara local vai passar a ter 17 vereadores, dois a mais do que o número atual. A mudança foi aprovada pela própria Casa no ano passado, com 11 votos favoráveis e um contrário.

Além de Cotia, o Conisud é formado por Taboão da Serra, Embu das Artes, Itapecerica da Serra, São Lourenço da Serra, Embu-Guaçu, Juquitiba e Vargem Grande Paulista.

Taboão vem na sequência

A próxima Câmara a liderar os gastos públicos para a própria manutenção na região é Taboão da Serra. A cidade conta com 13 vereadores, e a manutenção do trabalho legislativo custou R$ 38,6 milhões durante 2023.

Na sequência aparecem Embu das Artes (R$ 24,5 milhões), Itapecerica da Serra (R$ 15,1 milhões), Vargem Grande Paulista (R$ 9,8 milhões), Embu-Guaçu (R$ 7,5 milhões), Juquitiba (R$ 3,6 milhões) e São Lourenço da Serra (R$ 2,3 milhões).

Outro lado

A Gazeta entrou em contato com a Câmara Municipal de Cotia, e vai atualizar este texto caso a presidência da Casa queira se pronunciar.

Mínimo e máximo

Segundo a legislação, cidades com até 450 mil habitantes – como é o caso de todos os municípios do Conisud – podem ter no mínimo 9 e no máximo 23 vereadores. A definição fica a cargo de cada da Câmara Municipal.

Líder no Estado

A Câmara Municipal de Campinas é a que mais gasta dinheiro público no Estado fora da capital paulista para manter as atividades. Os valores usados pelo legislativo campineiro durante ao ano de 2023 ultrapassaram R$ 125,1 milhões, segundo informações do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP).

A Casa tem 33 vereadores – um a menos do que a de Guarulhos, na Grande São Paulo, e mesmo assim lidera os gastos no território paulista, que conta com 645 municípios. Além disso, o número de 2023 representa um acréscimo de 10% em relação a 2022. 

A população campineira é de 1.139.047 pessoas, segundo o TCESP. Já Guarulhos tem população de 1.291.771 pessoas.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

EVENTO HISTÓRICO EM SP

Anderson Silva e Chael Sonnen lutam novamente, dessa vez com luvas de boxe

Luta acontecerá neste sábado, pelo Spaten Fight Night, em São Paulo

PROPOSTA DE TRANSFERÊNCIA

Vaza oferta oficial de clube inglês por Carlos Miguel, goleiro do Corinthians

Presidente do Timão havia negado a existência da oferta, que acabou sendo confirmada após publicação de jornalista

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter