Publicidade

X
AJUDA

Frio: Em 24h, 235 pessoas foram acolhidas em abrigos da Prefeitura de SP

Entre a noite de quinta-feira e a madrugada de sexta, muitos aceitaram encaminhamentos para os serviços da rede socioassistencial

Publicidade

Pessoas em situação de rua em SP / Divulgação/Governo de SP

A Prefeitura de São Paulo divulgou nesta sexta-feira (6) um balanço do número de pessoas assistidas pelas iniciativas de amparo contra o frio na cidade. Entre a noite de quinta-feira (5) e a madrugada de sexta, as equipes da Coordenação de Pronto Atendimento Social (CPAS) realizaram 260 atendimentos, que resultaram no encaminhamento de 235 pessoas para Centros de Acolhida. Outras 25 pessoas recusaram o atendimento e, durante os trabalhos, também houve a distribuição de 201 cobertores.

Com cinco meses de duração, a operação passou a vigorar no último sábado (30) e segue até 30 de setembro. Neste período, os orientadores socioeducativos do Serviço Especializado de Abordagem Social (Seas), que atuam durante o dia, intensificam as abordagens às pessoas em situação de rua para acolhimento quando as temperaturas atingem 13° ou menos. No período da noite, as abordagens são realizadas pela Coordenação de Pronto Atendimento Social (CPAS).

Leia Também

• Frio deve permanecer na capital paulista por vários dias

A aceitação do encaminhamento é facultativa e as pessoas podem rejeitar a oferta de acolhimento. Neste caso, a equipe de orientadores oferece um cobertor e outros auxílios de acordo com a demanda de cada um.

Como ajudar?

Grande parte das pessoas em situação de rua procuram os serviços de acolhimento espontaneamente, mas a população em geral também pode ajudar solicitando uma abordagem social por meio da Central 156 (ligação gratuita).

O serviço funciona 24 horas por dia e a solicitação pode ser anônima, entretanto, é importante informar o endereço da via em que a pessoa em situação de rua está com número aproximado, citar pontos de referência, além de características físicas e detalhes de como a pessoa a ser abordada está vestida.

Novas vagas

Nos últimos dois dias (4 e 5/5) foram criadas 548 novas vagas emergenciais. Durante a operação, a SMADS irá descentralizar as novas vagas emergenciais dos serviços de acolhimento, fazendo com que as pessoas que vivem em situação de rua sejam acolhidas em todas as regiões da cidade, sem necessitar fazer grandes deslocamentos.

Somente nos primeiros meses da OBT 2022 serão criadas, pelo menos, 2 mil vagas nos serviços de acolhimento da rede socioassistencial para serem utilizadas exclusivamente para este período, quase o dobro do número aditado na OBT 2021, quando foram acrescentadas 1.047 vagas aos serviços da rede. Além disso, haverá 3.202 vagas em hotéis que se somam às já existentes nos Centros de Acolhida, totalizando mais de 16.500 vagas para pernoite.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Nicolas Vlavianos, que criou esculturas no Arouche e na Sé, morre aos 93 anos

Segundo sua filha, Myrine Vlavianos, o artista passou os últimos seis meses entre idas e vindas do hospital

Saúde

Anvisa determina recolhimento do remédio 'Losartana', usado para tratar hipertensão

Produtos devem ser retirados das farmácias em até 120 dias

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software