X

ALTA DEMANDA EM SP

Homem espera por 5 horas e morre durante atendimento em UPA de SP

Demora foi justificada pelo aumento dos casos de dengue e doenças respiratórias

Lucas Souza

Publicado em 16/05/2024 às 18:30

Atualizado em 16/05/2024 às 19:11

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Lúcio Gomes de Moura morreu de mau súbito após esperar por cinco horas para ser atendido em UPA de SP / Reprodução/TV Globo

Um homem de 45 anos esperou por cinco horas na fila e morreu de infarto durante atendimento nesta quarta-feira (15), na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Rio Pequeno, zona oeste de São Paulo.

Siga a Gazeta nas redes sociais e mantenha-se bem informado!

Esposa estava junto

Lúcio Gomes de Moura chegou no local às 7h com dores abdominais e dormência nas pernas. Sua esposa, Vadja Adriana Ribeiro, o acompanhou durante todo o processo e relatou que ele só recebeu medicamento às 13h.

Aliviado das dores abdominais, Lúcio passou a sentir dores nas pernas e para ser atendido novamente, ele e a mulher esperaram por mais alguns minutos.

Siga as notícias da Gazeta de S.Paulo no Google Notícias

"Quando ele terminou o medicamento disse que aliviou a barriga, mas começou dor na perna. Quando fui chegando com ele, a médica ia saindo do consultório. Não sei se foi comer, não sei. Sei que ela saiu e demorou para voltar, mais de 40 minutos, e ele sentindo dor na perna. Quando ela voltou, eu corri e falei da dor. Ela prescreveu medicamento para ir para casa. No momento em que ela estava me informando como dar o medicamento, que eu olhei pra ele, ele estava infartando", disse Vadja ao “G1”.

A mulher ainda expressou sua surpresa ao descobrir que dor no estômago, vômito e dor abdominal são sintomas de infarto, enquanto lamentava a perda prematura de seu ente querido. "Foi muito desespero nessa hora. Não sabia o que fazer nesse momento. Até agora a gente fica sem acreditar, uma pessoa jovem de 45 anos e morre assim, do nada".

O que disse a Secretaria da Saúde

A Secretaria da Saúde informou, por meio de nota, que Lúcio morreu de mal súbito e que a UPA em questão está com quadro profissional completo e que, nesta quarta-feira (15), apresentou uma falta pontual.

Além disso, a pasta lamentou a morte do homem e se justificou a respeito da demora para receber atendimento. Segundo a Secretaria, o aumento dos casos de dengue e de doenças respiratórias demanda a priorização dos atendimentos, ou seja, os de maior risco são atendidos primeiro.

*Texto sob supervisão de Diogo Mesquita

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

PRAIAS ESCONDIDAS

5 praias menos movimentadas do Guarujá para relaxar

Muito procurada pelos turistas, a cidade do Guarujá também possui praias menos exploradas para quem quer mais privacidade

ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL

Melhor cidade para envelhecer fica na Grande SP; confira ranking

De acordo com dados do Censo Demográfico 2022, o número de pessoas com 65 anos no País aumentou mais de 57% nos últimos 12 anos

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter