X

NO CONSELHO DE ÉTICA

Isa Penna promete recorrer contra decisão da Alesp que poupou Delegado Olim

Conselho de Ética rejeitou dar continuidade de pedido de cassação contra Olim, após ele dizer que Penna teve 'sorte' de ser assediada na Alesp

Bruno Hoffmann

Publicado em 10/05/2022 às 15:24

Atualizado em 10/05/2022 às 15:37

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Isa Penna / Divulgação/Alesp

A deputada estadual Isa Penna (PCdoB-SP) anunciou hoje que vai recorrer contra a decisão do Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) nesta terça-feira de rejeitar a continuidade do pedido de cassação do deputado Delegado Olim (PP) por quebra de decoro parlamentar.

A representação havia sido protocolada pela parlamentar após Olim dizer em um podcast que ela teve "sorte" de ser assediada pelo deputado Fernando Cury (União Brasil). 

“Minha equipe jurídica e eu estamos estudando a decisão para recorrer e ingressar com novo pedido para que o deputado seja responsabilizado por suas falas e ações que afrontam todas as mulheres”, afirma a deputada, em nota.

De acordo com ela, causa “muita indignação” que os seis votos que pouparam Olim tenham sido feito por parlamentares homens. “Mais uma vez agiram de forma corporativista em defesa de mais um parlamentar que manifesta publicamente seu machismo. É por esse tipo de comportamento que já propus um Projeto de Resolução para instituir a paridade de gênero na composição do Conselho de Ética”, continua a deputada.

O Conselho de Ética decidiu não admitir o processo contra Olim por seis votos a quatro. Foram contra a continuidade do pedido de cassação os deputados Barros Munhoz (PSDB), Wellington Moura (Republicanos), Campos Machado (Avante), Adalberto de Freitas (PSDB), Alex de Madureira (PL) e Professor Kenny (PP). Já Erica Malunguinho (PSOL), Enio Tatto (PT), Marina Helou (Rede) e a presidente do conselho, Maria Lúcia Amary (PSDB), defenderam a continuidade do processo.

“A Casa e seus parlamentares mais uma vez mostram desprezo pela luta contra a violência de gênero. Não vou aceitar calada mais uma tentativa de silenciamento e propagação do machismo nesta casa de poder”, afirma ainda a deputada.

Delegado Olim disse ao podcast Inteligência Ltda. que Isa Penna teve sorte de ter sido importunada sexualmente por Fernando Cury, em dezembro de 2020. "Sorte dela porque ela vai se eleger por causa disso. Ela só fala nisso", disse Olim em 20 de abril

Ele também foi o relator do processo de Arthur do Val (União Brasil) no Conselho de Ética da Alesp e responsável pelo parecer que pediu a cassação do ex-deputado pelos áudios com falas sexistas sobre mulheres ucranianas.

Leia a nota de Isa Penna, na íntegra:

“A  decisão do Conselho de Ética da Alesp em relação ao pedido de afastamento protocolado por mim contra o deputado delegado Olim em razão de suas falas em entrevista a um podcast é mais um obstáculo que enfrento na luta pelo fim da cultura machista que impera na Casa Legislativa. Minha equipe jurídica e eu estamos estudando a decisão para recorrer e ingressar com novo pedido para que o deputado seja responsabilizado por suas falas e ações que afrontam todas as mulheres. 
 

Não causa espanto, mas muita indignação, que os seis votos sejam justamente de colegas homens que mais uma vez agiram de forma corporativista em defesa de mais um parlamentar que manifesta publicamente seu machismo. É por esse tipo de comportamento que já propus um Projeto de Resolução para instituir a paridade de gênero na composição do Conselho de Ética.
 

A Casa e seus parlamentares mais uma vez mostram desprezo pela luta contra a violência de gênero. Não vou aceitar calada mais uma tentativa de silenciamento e propagação do machismo nesta casa de poder! É hora de os deputados entenderem que nenhuma violência contra qualquer mulher será tolerada e que, mais do que falas vazias que prometem compromisso com nossa luta, queremos ações efetivas em seus mandatos e decisões!

Deputada Isa Penna”

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nasceu em julho ou agosto?

Caixa libera abono do PIS/PASEP para trabalhadores nascidos em julho e agosto

Governo deve liberar R$ 4,5 bilhões para os benefícios, sendo R$ 3,9 bilhões para o PIS e R$ 613 milhões para o PASEP

Delação Premiada

Caso Marielle: STF julga esta terça denúncia dos mandantes envolvidos no crime

Ministros vão decidir se os suspeitos se tornarão réus por homicídio e organização criminosa; acusados estão presos desde março

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter