Publicidade

X

DIADEMA

Ladrão de celular é baleado por PM e espancado por testemunhas na Grande SP

O suspeito, identificado como Lucas de Morais Magalhães, tentou fugir após cometer um latrocínio

PAULO EDUARDO DIAS - Folhapress

Publicado em 06/06/2023 às 12:41

Atualizado em 06/06/2023 às 12:47

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Polícia Civil investiga as mortes da vítima e do suspeito de latrocínio / Governo do Estado de São Paulo

Um jovem de 22 foi morto a tiros durante o roubo de um telefone celular em Diadema, na Grande São Paulo, na noite de sábado (3). O suspeito do crime foi baleado por um PM, espancado por testemunhas e também morreu.

Eduardo Pereira da Silva estava com a namorada conversando com uma amiga em frente ao portão da casa dela, na avenida Antonio Sylvio Cunha Bueno, no bairro Inamar, quando um homem em uma motocicleta os abordou exigindo os celulares.

As duas mulheres entregaram os objetos, mas, de acordo com o boletim de ocorrência do caso, Silva reagiu e brigou com o ladrão. Durante a luta, o bandido conseguiu se soltar e atirou na cabeça do jovem.

O suspeito, identificado como Lucas de Morais Magalhães, tentou fugir e foi flagrado por um PM de folga que passava de carro pelo local.

Na delegacia, o policial militar disse ter dado voz de prisão ao homem, mas Magalhães teria tentado fugir. "Temendo por sua integridade física", e ainda dentro de seu veículo, conforme relato do PM no registro de ocorrência, ele atirou seis vezes na direção do suspeito.

Ainda segundo o policial, Magalhães teria feito um disparo contra ele.

Nesse momento, o suspeito teria corrido em direção a uma viela. Já o PM desceu do carro e seguiu na tentativa de deter Magalhães. No beco, o policial afirmou no depoimento ter dado mais dois tiros, e, somente após essa nova ação, o suspeito teria se rendido, jogando o revólver no chão.

Atingido duas vezes, com um tiro no antebraço esquerdo e outro na região pélvica, Magalhães passou a ser agredido por pessoas que passavam pelo local e que viram o assalto.

O jovem vítima de latrocínio morreu no local.

Magalhães foi socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) até o Hospital Municipal de Diadema, onde não resistiu aos ferimentos e também morreu.

Um parágrafo no registro de ocorrência cita que a equipe médica que atendeu o suspeito disse aos policiais civis que sua morte ocorreu em virtude do tiro que o atingiu na parte inferior do corpo e não em virtude das agressões sofridas.

O revólver supostamente utilizado por Magalhães e a pistola do PM foram apreendidos e devem passar por perícia. O caso foi registrado no 3° Distrito Policial de Diadema.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

EDUCAÇÃO

Confira 5 livros infantis para alfabetização

Livros infantis podem auxiliar no processo de alfabetização dos pequenos através de formas lúdicas, coloridas e interativas

LITERATURA INFANTIL

5 livros infantis para ler para o seu filho antes de dormir

Psicóloga indica cinco livros para ler antes de dormir com as crianças; livros ajudam no desenvolvimento

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter