X

NO ESTÁDIO DO CORINTHIANS

Lula e Boulos são condenados por ato eleitoral em 1º de Maio

Lula terá de pagar R$ 20 mil, enquanto o valor a Boulos foi fixado em R$ 15 mil por propaganda antecipada

Bruno Hoffmann

Publicado em 21/06/2024 às 15:23

Atualizado em 21/06/2024 às 15:46

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Boulos e Lula, durante ato de 1º de Maio, em São Paulo / Paulo Pinto/Agência Brasil

O presidente Lula (PT) e o deputado Guilherme Boulos (PSOL), pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, foram multados pela Justiça eleitoral por propaganda antecipada no ato de 1º de Maio, na zona leste da Capital.

O petista terá de pagar R$ 20 mil, enquanto o valor a Boulos foi fixado em R$ 15 mil, segundo decisão do juiz Paulo Eduardo de Almeida Sorci, do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-S). A ação foi movida pelo Partido Novo.

O que aconteceu

No ato de 1º de Maio, realizado ao lado da Neo Química Arena, estádio do Corinthians, Lula pediu votos para Boulos, seu aliado na cidade de São Paulo.

“Eu quero dizer para vocês: ninguém derrotará esse moço aqui se vocês votarem no Boulos para prefeito de São Paulo nas próximas eleições. E eu vou fazer um apelo, cada pessoa que votou o Lula em 89, em 94, em 98, em 2006, em 2010, em 2018, em 2022, dizem votar no Boulos para prefeito de São Paulo”, disse o presidente.

‘É pouco’

A pré-candidata do Novo na cidade, Marina Helena, criticou a decisão, por achar o valor baixo contra os dois políticos.

“Eu acho é pouco. O benefício eleitoral que Boulos teve vale muito mais que R$ 35 mil”, disse ela.

“Num país sério, esse caso renderia pelo menos a demissão da ministra da Cultura, por ter usado verbas da Lei Rouanet para um comício. Foram destinados cerca de R$ 250 mil da Rouanet, além de R$ 3 milhões da Petrobras. É um escândalo”, completou a economista.

Outros partidos foram à Justiça

Além do Novo, o MDB, do prefeito Ricardo Nunes (MDB), e o deputado federal Kim Kataguiri (União Brasil), também pré-candidato na Capital, buscaram a Justiça após o episódio.

Já Tabata Amaral (PSB) disse que ainda iria se reunir com a equipe jurídica para decidir o que faria, mas acabou não entrando com qualquer ação contra o presidente e o psolista.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Automotor

Conheça o Territory: SUV médio da Ford

Com apenas nove meses no mercado, o modelo novo do Territory já tornou-se mais fácil de encontrar nas ruas brasileiras

DISPUTA NA GRANDE SP

Pré-candidato do PL em Guarulhos anuncia vice e fala em 'momento histórico'

'Um momento histórico e de mudanças aqui para a nossa cidade', afirmou Sanches ao anunciar a formação da chapa

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter