X

ITU (SP)

Menino de 11 anos foge após ser torturado pelos próprios pais

A mãe do menino já havia sido presa em 2013 por suspeita de matar o filho mais novo; Os pais são procurados pela polícia; Caso ocorreu em Itu, interior de São Paulo

Da Reportagem

Publicado em 04/05/2022 às 15:42

Atualizado em 04/05/2022 às 15:56

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Reprodução TV TEM

Na última segunda-feira, o Conselho Tutelar recebeu a denúncia de maus-tratos ao menino de 11 anos, que foi encontrado por vizinhos com sinais de tortura. Uma equipe foi até o local indicado para resgatar a criança. A suspeita é de que ela sofre violência física e psicológica dos pais.

A mãe do menino já havia sido presa em 2013 por suspeita de matar o filho mais novo. A polícia pediu a prisão do casal nesta semana após o garoto ser encontrado com vários ferimentos pelo corpo.

Em relato às pessoas que o encontraram, o garoto contou que apanhava havia cinco anos e que era enforcado com um fio. Além disso, disse que já foi atingido por um facão e por água de bateria de carro, o que causou uma falha no cabelo dele.

Os pais da criança não foram encontrados depois que o garoto foi localizado. A criança ainda contou que o pai o obrigava a mentir sobre os ferimentos.

O garoto fugiu de casa, pois não aguentava mais as agressões. Ele contou a um amigo, que revelou o caso no bairro.

Segundo o 4º Distrito Policial de Itu, o menino fez um exame de corpo de delito no IML de Sorocaba (SP) na terça-feira (3) para avaliar os ferimentos. Ele ficou sob cuidados do Conselho Tutelar.

MÃE JÁ MALTRATAVA DE OUTRO FILHO

Segundo o boletim de ocorrência, na tarde do dia 14 de julho de 2013, uma criança com um ano havia dado entrada no hospital em óbito, e o irmão mais velho, que tinha dois anos - sendo o menino resgatado na última segunda-feira - apresentava hematomas pelo corpo.

A criança de um ano havia sido levada pela mãe e uma vizinha ao local, tendo a mãe informado que ela tinha se afogado com leite. No BO é informado que foi providenciada a aspiração, porém, não foi encontrado nenhum tipo de alimento no organismo da criança.

Diante dos fatos, ela foi presa em flagrante no mesmo dia do crime e encaminhada para a Cadeia Pública de Votorantim (SP). Também foi pedido um exame necroscópico. O irmão mais velho, na época, ficou sob cuidados de uma tia, irmã do pai das crianças.

Segundo o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, a mãe do menino ficou exatamente um mês presa. Após o resultado dos exames necroscópicos, foi requerida a prisão preventiva da mãe e o caso foi arquivado pela 2ª Vara Criminal de Itu.

Agora ela, junto ao pai da criança, tiveram a prisão pedida pela polícia.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Futebol internacional e nacional

Confira agenda de jogos desta segunda-feira no futebol

Seleção brasileira estreia na Copa América contra a Costa Rica; confira também os confrontos da Eurocopa, Campeonato Brasileiro e Copa Paulista, e onde assistir ao vivo

Oportunidade

Prefeitura de Jundiaí abre 70 vagas de emprego esta terça-feira

Remuneração varia de acordo com o cargo oferecido, podendo ser de R$ 1.412 a R$ 1.901

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter