X

Estado

Nitrato de Amônio é usado na produção de explosivos desde a I Guerra Mundial

Em janeiro de 2023, no total 50,2 mil toneladas de nitrato de amônio foram descarregadas em Santos

Nilson Regalado

Publicado em 20/02/2024 às 07:05

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

As medidas de segurança servem 'para evitar a contaminação do produto', segundo a APS / Divulgação

Embora o nitrato de amônio tenha sido sintetizado pela primeira vez em 1659 pelo químico alemão Johann Rudolf Glauber, ele não foi usado em explosivos até a I Guerra Mundial, quando fabricantes de armas o misturaram com trinitrotolueno (TNT) para fazer bombas mais baratas. Vale ressaltar que o Nitrato de Amônio vem ao Porto de Santos e poderia causar explosão 15 vezes pior do que em Beirute.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Na explosão de Beirute, a onda de choque resultante moveu-se mais rápido do que a velocidade do som; vídeos de telefones celulares mostram o impacto que atingiu a cidade alguns segundos antes de um estrondo sônico.

Em janeiro de 2023, no total 50,2 mil toneladas de nitrato de amônio foram descarregadas em Santos. Já no mês passado, o volume caiu para 41,3 mil toneladas, o que representou uma queda de quase 10%.

Porém, a importação de fertilizantes em geral cresceu 25% no mês passado, na comparação com janeiro de 2023, saltando de 720 mil toneladas para 900 mil toneladas no mês passado.

Na interpretação da Autoridade Portuária de Santos, o menor volume de adubo movimentado no cais santista no começo do ano passado pode estar ligado, eventualmente, às tensões causadas pela invasão russa à Ucrânia em 2022.

E a recuperação no volume de fertilizantes descarregados agora em 2024 seria reflexo das rotas alternativas para o escoamento de produtos estabelecidas pelos fornecedores do Leste Europeu a partir do segundo semestre de 2023.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

NO MINISTÉRIO PÚBLICO

Boulos pede investigação contra Nunes por empresas ligadas ao crime organizado

Pré-candidato do PSOL diz ao Ministério Público que atual gestão municipal se mostrou impotente 'para fazer frente a essa situação degradante'; entenda

PREVISÃO NO ESTADO DE SP

Temperatura volta a ficar instável em São Paulo nos próximos dias; confira

As instabilidades se afastam da região e o ar frio e seco de origem polar ganha força, o que vai garantir o tempo estável na Grande SP

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter