Publicidade

X

Greve de metroviários e ferroviários

Paralisação da Linha Esmeralda durante greve foi causada por sabotagem, aponta polícia

Investigações identificaram diferentes pontos da linha que foram sabotados no dia 3 de outubro; ação prejudicou milhões de passageiros

Maria Eduarda Guimarães

Publicado em 27/11/2023 às 14:32

Atualizado em 27/11/2023 às 15:22

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Laudo apontou sabotagem na Linha Esmeralda durante a greve de metroviários e ferroviários em São Paulo / Rovena Rosa/Agência Brasil

A Polícia Civil apontou que a paralisação dos trens na Linha Esmeralda no dia 3 de outubro, durante a greve de metroviários e ferroviários em São Paulo, foi causada por sabotagem em diferentes pontos da linha. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a ação criminosa atrasou o restabelecimento do sistema em várias horas e prejudicou milhões de passageiros.

A investigação realizada por equipes do 27º Distrito Policial (Campo Belo) ouviu diversas testemunhas, incluindo funcionários da empresa, que relataram terem encontrados vários objetos que foram arremessados tanto na rede aérea de energia do sistema quanto na linha férrea.

De acordo com o laudo elaborado pelo Instituto de Criminalística , em um ponto da linha, próximo da estação Autódromo, também foram identificados sinais de vandalismo em uma máquina de chaveamento de via. A fiação do equipamento foi completamente arrancada, impedindo o restabelecimento do sistema. O documento também mostrou os locais onde o gradil de proteção foi aberto para a entrada dos criminosos da linha férrea.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Também foram analisadas  imagens de diferentes câmeras de segurança instaladas ao longo da via, porém, nos pontos onde houve sabotagem, não havia monitoramento. A polícia acredita que os criminosos tenham escolhido estes pontos para não serem identificados.

“Foram realizadas varreduras nos pontos onde os objetos foram arremessados, que não possuem câmeras. Não foi possível identificar os autores, mas verificamos que houve atentados em diversos pontos da linha, com arremesso de objetos estranhos ao sistema nas estações de Osasco a Interlagos, que foram apreendidos.", disse o doutor Eduardo Luís Ferreira, delegado titular do 27º DP.

O inquérito agora será concluído e relatado para análise do Ministério Público e Poder Judiciário.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Pesquisa afirma que Trump tem 48% das intenções de voto nos EUA

Os resultados mostram que 48% dos entrevistados afirmaram que votariam em Trump

Esportes

Agora é oficial! Palmeiras recebe documento que garante título mundial

A entidade internacional indicou o título da Copa Rio conquistado em 1951 como a primeira versão do tradicional torneio de clubes

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter