Publicidade

X

DEIC

Polícia Civil encontra mais de 850 celulares roubados em operação em SP

Ao todo, foram apreendidos 853 celulares, tablets e notbooks

FRANCISCO LIMA NETO - FOLHAPRESS

Publicado em 21/11/2023 às 09:48

Atualizado em 21/11/2023 às 15:39

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Polícia Civil / Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

O Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) faz uma operação na região central de São Paulo, na manhã desta terça-feira (21), contra quadrilha de receptação de aparelhos celulares, que, após serem roubados ou furtados, eram enviados para o exterior.

Duas pessoas foram presas em flagrante. Segundo a polícia, o esquema é operado por africanos que enviam os aparelhos para outros países.
 

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.


Ao todo, foram apreendidos 853 celulares, tablets e notbooks.

A operação cumpre 15 mandados de busca e apreensão em endereços na rua Guaianases, no Largo do Arouche, e na avenida da Liberdade.

De acordo com a Polícia Civil, 50 policiais participam da ação, que busca atingir a estrutura da quadrilha que comercializa os aparelhos roubados.

A operação é coordenada pela 1ª Delegacia DIG (Antipirataria).

Outro caso

Em 9 de agosto, uma operação da Polícia Civil apreendeu 312 celulares roubados em uma central de desbloqueio mantida por criminosos em um apartamento na rua Guaianases, no centro de São Paulo, endereço apontado por vítimas que tiveram acesso à localização do aparelho após os roubos.

No local, foi preso um homem africano de Guiné-Bissau apontado pelas investigações como um dos principais receptadores de celulares roubados. Havia aparelhos, inclusive, de cidades do interior de São Paulo.

Após serem vasculhados, os celulares eram embalados em papel filme e acondicionados em malas para serem enviados a países da África.

Apesar de ter a informação de onde os aparelhos são levados pelos assaltantes, o delegado Fabio Pinheiro Lopes, diretor do Deic, afirmou à época que a polícia precisa de mandados de prisão para entrar nos imóveis. "Lá tem mais de uma centena de apartamentos habitados por imigrantes africanos sem contratos de aluguel", diz ele sobre a dificuldade nas investigações.

Segundo ele, os criminosos mudam de apartamento diversas vezes para dificultar o trabalho da polícia. Com o acusado, foram encontradas chaves de dois apartamentos no mesmo prédio.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

CASOS EM ALTA

Dengue: grávidas e bebês podem usar repelentes?

Na busca por proteção, a procura por repelentes aumentou nas farmácias de todo o País; dermatologista orienta sobre o uso

DIA DO COMEDIANTE

Conheça influenciadores de humor que estão em alta na internet

Para o Dia do Comediante, a Gazeta separou cinco perfis do Instagram que estão em alta entre os usuários da rede social

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter