X

FOLIA NA CAPITAL

Pré-Carnaval em São Paulo tem blocos sem autorização neste domingo

As convocações ocorreram por meio das redes sociais e geraram ao menos uma confusão de agendas

Tulio Kruse - Folhapress

Publicado em 05/02/2023 às 17:02

Atualizado em 05/02/2023 às 17:06

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Bloco de Carnaval / Facebook/Job Menezes/Bloco Cornucópia Desvairada

A cidade de São Paulo teve neste domingo (5) - a duas semanas do Carnval - um circuito com blocos sem autorização oficial e festas fechadas, com foliões que percorreram a cidade para se manter no clima animado. As convocações ocorreram por meio das redes sociais e geraram ao menos uma confusão de agendas.

Pela manhã, o bloco Pyranha fechou a rua Gustav Willi Borghof, próximo ao viaduto Antártica, na Barra Funda, zona oeste. Uma multidão passeou pela rua acompanhada de uma viatura da Polícia Militar.

Um policial informou que não havia autorização para fechar a rua, razão pela qual foram acionados. O bloco dispersou sem nenhuma ocorrência.

A empresária Nara Trajano, 32, que curtia a folia do Pyranha, acha que a prefeitura deveria autorizar mais blocos na Capital.

"Neste fim de semana, eu e meus amigos procuramos por blocos na rua e não encontramos quase nada, há muito mais festas fechadas, que são caras", disse Trajano. "O pré-Carnaval na rua é bom para tudo mundo, para o ambulante, para a organização do bloco e para quem vem curtir a festa."

O público no local saiu em busca de outras festas para continuarem em clima carnavalesco. Boa parte dos foliões ali encontraram-se novamente nas ruas da Lapa, também na zona oeste, em um ensaio da banda Cornucópia Desvairada, que toca músicas de Carnaval.

A produtora carioca Diana Baldini, 41, pretendia ficar no Carnaval de rua entre 11h e 19h deste domingo, em dois ou três blocos diferentes. "Não estou sentindo saudade do Rio [de Janeiro] por enquanto", disse.

Boa parte dos blocos tradicionais de criação têm feito parcerias com estabelecimentos comerciais, fazendo ensaios em pontos fixos em vez de passeatas pelos bairros. A divulgação da agendas do pré-Carnaval nas redes causou um desencontro na Barra Funda.

Um ensaio do bloco Domingo Ela Não Vai, a partir das 13h na rua Brigadeiro Galvão, chegou a ser divulgado na internet. A gerência do estabelecimento, o restaurante Terr3no, no entanto, disse que a divulgação ocorreu sem que eles soubessem. A festa, na verdade, seria com dois DJs que fazem parte da banda do bloco a partir das 16h.

Pessoas interessadas no ensaio chegavam local e logo dispersavam, informadas que o evento seria mais tarde e em outro formato.
Neste ano, a gestão municipal conseguiu patrocínio de R$ 25,6 milhões para organizar os desfiles na rua. A empresa que venceu a licitação, do ramo de cervejarias, poderá divulgar até dez marcas nos locais por onde os foliões vão passar.

Os desfiles marcam o retorno oficial dos blocos de rua após dois anos da pandemia da Covid-19. A prefeitura afirma que a expectativa é que seja a maior festa já registrada da cidade e que deve atrair um público ainda maior que em 2020, quando cerca de 15 milhões festejaram nas ruas.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Gazeta Mais

As férias escolares chegaram! Veja 5 dicas para combinar diversão com aprendizado

Especialista explicam as melhores opções

SAÚDE

Dr. Bactéria dá dicas para deixar a casa sempre limpa

Da cozinha ao banheiro, biomédico Roberto Figueiredo, conhecido como Dr. Bactéria, explica o que é certo e o que é errado na hora de limpar a casa

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter