Publicidade

X

Paralisação

Prefeito de SP diz que sindicato age como organização criminosa em paralisação de ônibus

De acordo com o prefeito, a GCM deteve Josilei de Godoy Vasco, conhecido como Preguinho, apontado como um dos líderes do movimento, no Parque Dom Pedro

Carlos Petrocilo - Folhapress

Publicado em 21/11/2023 às 14:35

Atualizado em 21/11/2023 às 15:37

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB) / Wilson Dias/Agência Brasil

 O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), disse que os articuladores da paralisação de motoristas, ataques a ônibus e bloqueios de vias em nove terminais nesta terça-feira (21) agem como uma organização criminosa.

Para contornar os problemas, a prefeitura enviou equipes de guinchos para os terminais, como Parque D. Pedro 2º e Santo Amaro, e acionou equipes das GCM (Guarda Civil Metropolitana) e das polícias Civil e Militar. A gestão também suspendeu o rodízio de veículos nesta terça.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

"O transporte coletivo é um serviço essencial, mas fizeram este ato por causa de disputa de chapas. Essas pessoas agem como organização criminosa e somos vítimas desta turma", afirmou Nunes à Folha de S.Paulo.

De acordo com o prefeito, a GCM deteve Josilei de Godoy Vasco, conhecido como Preguinho, apontado como um dos líderes do movimento, no Parque Dom Pedro.

Nunes disse que a paralisação afetou 368 linhas e quase 530 mil usuários do transporte público nesta quarta. "Eles bloquearam nove terminais, com a tática de sempre, tiram a chave do ônibus, furam pneus", afirmou o prefeito.

"Esses atos vêm acontecendo com frequência desde as garagens de ônibus, mas o de hoje chamou atenção em razão da quantidade de terminais bloqueados", prosseguiu.

Desde a manhã, advogados da SPTrans estavam no 1º Distrito Policial (Sé) para registrar boletim de ocorrência.

Como a Folha de S.Paulo mostrou, a paralisação de alguns profissionais ocorre em razão de uma disputa entre as chapas que concorrem na eleição do SindMotoristas. A votação começou na madrugada desta terça.

A chapa da oposição estaria exigindo a utilização de urnas eletrônicas na votação, mas a chapa da situação seria contra.
 

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Direitos Humanos

'Inconcebível', diz Alckmin sobre ataques contra civis em Gaza

Assim como Lula, vice-presidente fez apelo à comunidade internacional

Política

Lula se reúne com Maduro para tratar de eleições na Venezuela no segundo semestre

Palácio do Planalto informou que questão de Essequibo não foi tratada

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter