Publicidade

X

Representatividade

Prefeitura de SP recua, e bandeira LGBT+ será novamente estendida no Theatro Municipal

A decisão da Secretaria Municipal de Cultura de SP de retirar as faixas no dia 14 deste mês espantou ativistas da causa e integrantes do Municipal e gerou uma crise interna

MÔNICA BERGAMO - FOLHAPRESS

Publicado em 27/06/2023 às 11:53

Atualizado em 27/06/2023 às 11:54

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

O texto dizia que funcionários da Fundação Theatro Municipal pediram a retirada da bandeira / Tânia Rego/Agência Brasil

A bandeiras LGBTQIA+ que foram retiradas da fachada do Theatro Municipal de São Paulo, na capital paulista, serão colocadas de volta na quarta-feira (28), data em que é celebrado o Dia Internacional do Orgulho LGBT+.

A decisão da Secretaria Municipal de Cultura de SP de retirar as faixas no dia 14 deste mês espantou ativistas da causa e integrantes do Municipal e gerou uma crise interna.

O retorno foi articulado pela Coordenação de Políticas para LGBTI+, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania. A coordenadora da pasta, Leonora Áquilla, afirma à coluna que procurou o prefeito Ricardo Nunes (MDB) pessoalmente e explicou a importância da data.

Ele, então, teria dado o aval. As bandeiras ficarão expostas apenas na quarta (28) e serão retiradas no dia seguinte.

Na época do episódio, funcionários do complexo cultural, artistas e apoiadores da causa LGBT+ realizaram um abaixo-assinado e classificaram a iniciativa, e a forma como a bandeira foi retirada, como "um ataque".

O texto dizia que funcionários da Fundação Theatro Municipal pediram a retirada da bandeira "sem oferecer nenhuma justificativa". Em uma troca de emails, a Sustenidos, organização social que tem contrato com a Fundação para administrar o teatro, afirmou discordar da iniciativa.

A Sustenidos disse, em nota enviada à coluna, que a bandeira foi retirada "pela equipe da Fundação Theatro Municipal [ligada à secretaria de Cultura], sem concordância da Sustenidos".

A Secretaria Municipal de Cultura afirmou que a remoção da bandeira "se deu pelo fato da rotatividade das atividades do espaço, sendo necessárias alterações constantes em sua fachada, propiciando assim o regular andamento das atividades".

O episódio fez com que a Bancada Feminista, mandato coletivo do PSOL na Câmara de São Paulo, protocolasse uma ação popular na Justiça de São Paulo pedindo que a Fundação Theatro Municipal voltasse a erguer as bandeiras.
 

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

AMARELINHA

Dorival chama são-paulinos e palmeirenses na primeira convocação

Dorival Jr. fez a sua primeira convocação para a seleção brasileira nesta sexta; veja lista

NÃO PERCA A OPORTUNIDADE

Prefeitura de SP abre processo seletivo para 6 mil vagas; veja mais

As vagas são para estudantes de ensino médio e superior de diferentes áreas

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter