Publicidade

X
COVID-19

Prefeito de SP decreta fim da obrigatoriedade do uso de máscara em táxis e carros por aplicativo

Medida permanece para transportes coletivos

Publicidade

Veículos de Taxi em São Paulo / Apu Gomes/Folhapress

O decreto que dispensa o uso obrigatório de máscaras em transportes por aplicativo e táxis na capital paulista foi publicado neste último sábado (14) pelo prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB). 

A partir da mesma data, por decreto, o uso da máscara na cidade passa a ser exigido a partir de agora apenas no transporte coletivo - como ônibus, trens, metrô e aeroportos, assim como nas unidades de saúde, como hospitais, clínicas e postos de saúde. 

A nova medida da Prefeitura de São Paulo chega mais de dois meses depois que o governo do estado retirou a obrigatoriedade do uso da máscara em espaços fechados, em 17 de março, após 679 dias desde o início da medida de prevenção contra a Covid-19. 

Onde a máscara segue obrigatória?

Uso obrigatório: ônibus, metrô, trens e respectivos locais de acesso (embarque e desembarque); hospitais, consultórios, unidades de saúde.

Uso optativo: escolas, escritórios, academias, shoppings, lojas.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Inclusão

TRF suspende liminar que obrigava IBGE a incluir orientação sexual no Censo

Instituto argumenta que não teria tempo hábil nem orçamento suficiente para fazer o acréscimo das perguntas de forma adequada no levantamento

CPI do MEC

Suspeita de interferência de Bolsonaro aumenta pressão por CPI do MEC

A oposição no Senado ainda tenta engrossar com ao menos mais dois nomes o requerimento para criação de uma CPI do MEC

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software