X

INVESTIGAÇÃO NA GRANDE SP

Presidente da Câmara de Mauá é investigado por crime sexual e pede afastamento

O vereador Geovane Correa (PT) disse que está sendo vítima de ataques e notícias falsas após início de investigação de suposto crime sexual com adolescente

Lucas Souza

Publicado em 01/03/2024 às 16:30

Atualizado em 01/03/2024 às 17:02

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Presidente da Câmara de Mauá, Geovane Correa (PT), é investigado por crime sexual / Arquivo pessoal

Siga as notícias da Gazeta de S.Paulo no Google Notícias

Após início de investigação por suposto crime sexual com menor, o presidente da Câmara Municipal de Mauá, Geovane Correa (PT), pediu afastamento do cargo nesta quinta-feira (29), na Grande São Paulo. O pedido será avaliado na terça-feira (5).

Leia Também

• O veredito de Daniel Alves e o combate contra a violência sexual

Geovane Correa está sendo acusado de tirar fotos da genitália durante sessão na Câmara. As fotos teriam sido enviadas para uma adolescente no ano de 2021, período que adotava o formato online para algumas sessões.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

A denúncia foi feita pelo Sargento Simões (PL), também vereador na cidade da Grande São Paulo. O texto conta com informações do "G1"

A Promotoria de Justiça de Mauá solicitou a instauração de inquérito policial na Delegacia Seccional de Santo André no dia 16 de fevereiro.

O pedido chegou no dia 19 de fevereiro na Delegacia Sede de Mauá. O inquérito foi instaurado no mesmo dia para investigação do caso.

Homem acusado de crime de abuso sexual infantojuvenil é preso em SP

Em nota enviada ao "G1"., o vereador Geovane Correa (PT) alega ser vítima de ataques e notícias falsas.

"Ocorre que adversários e inimigos políticos sem qualquer tipo de escrúpulo ou caráter utilizaram de tal conteúdo privado para criar uma narrativa caluniosa e difamatória, me imputando falsamente e dolosamente algo tipificado como crime e que jamais cometeria", pontuou.

Segundo nota, o vereador se afastará de suas atividades por 31 dias para tomar as providências jurídicas necessárias.

*Texto sob supervisão de Matheus Herbert

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

NO MINISTÉRIO PÚBLICO

Boulos pede investigação contra Nunes por empresas ligadas ao crime organizado

Pré-candidato do PSOL diz ao Ministério Público que atual gestão municipal se mostrou impotente 'para fazer frente a essa situação degradante'; entenda

PREVISÃO NO ESTADO DE SP

Temperatura volta a ficar instável em São Paulo nos próximos dias; confira

As instabilidades se afastam da região e o ar frio e seco de origem polar ganha força, o que vai garantir o tempo estável na Grande SP

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter