X

SEGURANÇA

Primeira ação da Polícia Civil na cracolândia sob Tarcísio termina sem detidos

A ação teve a presença do novo delegado responsável pela força-tarefa na cracolândia, Arariboia Fusita Tavares

PAULO EDUARDO DIAS - FOLHAPRESS

Publicado em 30/01/2023 às 20:16

Atualizado em 30/01/2023 às 20:52

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

O homem morreu no sábado baleado por um policial militar de folga.  / Rovena Rosa/Agência Brasil

A primeira ação da Polícia Civil na cracolândia na gestão Tarcísio de Freitas (Republicanos) terminou sem prisões. 

Guardas-civis metropolitanos e policiais civis estiveram na tarde desta segunda-feira (30) na rua Vitória, em Campos Elíseos, centro de São Paulo. Atualmente, a via, entre as ruas Conselheiro Nébias e Guaianases, abriga o fluxo, como é chamada concentração de usuários de drogas. 

A ação, que resultou na apreensão de 100 pedras de crack, teve a presença do novo delegado responsável pela força-tarefa na cracolândia, Arariboia Fusita Tavares. Grupos de elite da Polícia Civil, como o Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) e o GER (Grupo Especial de Reação) participaram da ação. 

"Esse combate vai ser diário, não vai parar. Vamos intensificar essas ações", disse Tavares. 

Segundo ele, as novas operações realizadas em conjunto por prefeitura e governo do estado tem como objetivo estimular os usuários a buscarem tratamento. 

"Onde eles forem vamos deslocar o policiamento e fazer revista e abordagem", acrescentou o delegado.
A operação nesta segunda ocorreu dois dias após a morte de um suspeito de tentativa de roubo na região da cracolândia. 

O homem morreu no sábado (28) baleado por um policial militar de folga. 

De acordo com a Polícia Militar, o agente passava pela avenida Duque de Caxias, também nos Campos Elíseos, por volta das 11h, quando viu dois suspeitos roubando uma pessoa. 

O PM teria dado voz de prisão aos dois, que teriam reagido, e então teve início uma troca de tiros, ainda segundo a assessoria de imprensa da Polícia Militar. 

O homem baleado foi socorrido e levado para a Santa Casa, mas morreu em seguida. 

Fotos tiradas no local mostram a vítima sendo socorrida por equipes do Corpo de Bombeiros. Ao lado dele é possível visualizar duas armas de brinquedo. 

Entre as medidas recém-anunciadas pelo governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) para enfrentar o problema da cracolândia está a maior presença de policiais militares em patrulhamento na região. 

Até então, era mais frequente a presença de agentes da GCM (Guarda Civil Metropolitana) no local. A mudança ocorre após troca no comando da 1ª Delegacia Seccional do Centro, responsável pela cracolândia.
Desde o início do ano, houve ao menos duas ações da Polícia Militar em meio ao fluxo de usuários de drogas na cracolândia. 

Uma delas ocorreu no dia 11, após a Folha de S.Paulo mostrar que usuários haviam pintado uma faixa na rua para separar o espaço ocupado por eles da via destinada ao trânsito de veículos. 

Em entrevista à Folha de S.Paulo na segunda-feira (23), o secretário da Segurança Pública do estado, capitão Guilherme Derrite, ressaltou que deu ordem ao comando da PM para não estimular o confronto. 

"Eu estive na Rota [a tropa de elite da PM] na semana passada conversando com os oficiais, e isso era uma coisa informal, que ninguém sabe, mas fui lá justamente para passar o recado: 'Senhores, nosso compromisso é de não estimular o confronto", afirmou.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

CRIME DE TRÂNSITO

Motoristas pagam R$ 600 por dispositivo anti-multa

Golpe da folha magnética permite encobrir caracteres da placa do veículo

Licitação

Prefeitura de Cafelândia abre licitação de R$ 611 mil para pavimentação.

Critério de julgamento será de menor preço global; Abertura da sessão pública será dia 17 de junho, às 9h

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter