Publicidade

X
Capacitação em Libras

Samu Embu das Artes capacita servidores da rede de saúde em Libras

A ação visa um atendimento na área da saúde mais humanizado e inclusivo para a população

Publicidade

Samu Embu das Artes capacita servidores em Libras / DIVULGAÇÃO | PMEA

O Núcleo de Educação em Urgências (NEU) do Samu Regional de Embu das Artes realiza a capacitação em Língua Brasileira de Sinais (Libras) para profissionais da rede de saúde. A ação visa um atendimento na área da saúde mais humanizado e inclusivo para a população.

A Libras é reconhecida pela Lei nº 10.436, de 24 abril de 2002, como uma língua de comunicação e representação da comunidade surda. Segundo o Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem mais de 10 milhões de pessoas com alguma deficiência auditiva no País.

A formação se iniciou em 2021 e, até o momento, contou a participação de 150 funcionários, entre médicos, enfermeiros, condutores, técnicos, auxiliares de enfermagem e administrativo.

O curso é ministrado pelo condutor socorrista Claudinei Silva, que possui 25 anos de contato com a língua. Com base em sua experiência como instrutor e intérprete e vivência com pessoas com deficiência auditiva, desenvolveu uma metodologia dinâmica. Em 4 horas de formação, os profissionais conseguem aprender não só o alfabeto, mas também frases básicas para atender a vítima de forma mais humana.

“Nesse atendimento pré-hospitalar, é fundamental que se obtenha o nome e o endereço da pessoa socorrida, além de saber se ela toma algum tipo medicamento” – afirma Silva.

Ele explica que, antes das capacitações, a comunicação entre o socorrista e a vítima era intermediada por algum amigo ou familiar, e que também existem aplicativos que ajudam na conversa, mas que nada substitui o tête-à-tête. “A vítima se sente mais respeitada” – conclui.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Democracia

Fachin defende urnas e se opõe às fake news em mensagem para mobilização de 11 de agosto

Declarações do presidente do TSE foram feitas em meio a insinuações golpistas e ataques do presidente Jair Bolsonaro ao sistema eleitoral

Monkeypox

Varíola dos macacos: Anvisa analisa pedidos para diagnóstico da doença

Segundo a agência, os dois primeiros produtos foram Viasure Monkeypox Virus Real Time PCR Detection Kit, fabricado na Espanha pela empresa CerTest Biotec

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software