X

ABC PAULISTA

São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Ribeirão Pires deixam Consórcio do Grande ABC

A decisão foi divulgada poucas horas após a vitória dos petistas Marcelo Oliveira, prefeito de Mauá, como presidente, e José de Filippi Júnior, prefeito de Diadema, como vice

Da Reportagem

Publicado em 21/12/2022 às 15:16

Atualizado em 21/12/2022 às 17:48

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Consórcio Intermunicipal passará a representar apenas quatro cidades do ABC Paulista / Divulgação

As prefeituras de São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul e Ribeirão Pires anunciaram, no início da tarde desta terça-feira (20), a saída do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC. A decisão foi divulgada em uma nota conjunta poucas horas após a eleição deste ano para a presidência do grupo, que deu a vitória para os petistas Marcelo Oliveira, prefeito de Mauá, como presidente, e José de Filippi Júnior, prefeito de Diadema, como vice. Os prefeitos dos três municípios foram os que votaram contra a eleição de Oliveira. Orlando Morando (PSDB), de São Bernardo e José Auricchio Júnior (PSDB), por exemplo, deixaram a reunião antes do término, logo após o resultado.

No comunicado, as três prefeituras alegaram estar "diante de um modelo obsoleto e da pouca produtividade" do Consórcio. Morando e Auricchio, inclusive, já presidiram o grupo em 2017/2018 e 2009, respectivamente. Clóvis Volpi, ex-prefeito de Ribeirão Pires e pai do atual prefeito Guto Volpi (PL), também foi presidente da instituição em 2010.

Ainda de acordo com o posicionamento, as três cidades informaram ainda que "os altos custos da mensalidade do Consórcio não são compatíveis com a realidade dos municípios. E, além disso, o Consórcio não conseguiu suprir os anseios das cidades perante ao Governo do Estado e Federal".

Os prefeitos de São Bernardo e São Caetano eram aliados políticos do então governador Rodrigo Garcia (PSDB) e apoiaram a candidatura de Tarcísio de Freitas (Republicanos), governador eleito, no segundo turno, além do prefeito de Ribeirão, que também foi aliado de Tarcísio e é apoiador de Jair Bolsonaro.

Com a decisão, permanecem no Consórcio apenas os municípios de Diadema, Mauá e Rio Grande da Serra. Até o momento, as prefeituras e prefeitos não se manifestaram.

Apesar do anúncio das prefeituras o desligamento da entidade regional não é automática. Os membros do colegiado devem elaborar a solicitação que deve ser votada em cada uma das Câmaras municipais e depois disso formalizado a saída oficial ocorre 180 dias depois.

Sobre o Consórcio

O Consórcio Intermunicipal foi criado há 32 anos; ele foi idealizado pelo prefeito de Santo André, Celso Daniel (PT), que foi seu primeiro presidente. Daniel foi assassinado em 2002. A entidade, que passou a ser o primeiro consórcio multissetorial de direito público e natureza autárquica do país em fevereiro de 2010, conquistou no mesmo ano o direito de receber repasses estaduais e federais para programas e projetos que atendam às prioridades dos municípios consorciados, além de lançar processos licitatórios e articular parcerias com outras entidades.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Gazeta Mais

As férias escolares chegaram! Veja 5 dicas para combinar diversão com aprendizado

Especialista explicam as melhores opções

SAÚDE

Dr. Bactéria dá dicas para deixar a casa sempre limpa

Da cozinha ao banheiro, biomédico Roberto Figueiredo, conhecido como Dr. Bactéria, explica o que é certo e o que é errado na hora de limpar a casa

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter