Publicidade

X

Greve

Sindicatos de Metrô e CPTM confirmam a greve nesta terça (28) em São Paulo

A decisão havia sito tomada pelas categorias em votações com os funcionários e foi ratificada na reunião realizada nesta segunda (27)

MARIANA ZYLBERKAN - Folhapress

Publicado em 27/11/2023 às 20:34

Atualizado em 27/11/2023 às 20:56

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

A decisão foi anunciada por representantes dos sindicatos dos Metroviários, Ferroviários e Trabalhadores do Saneamento e Meio Ambiente / Fernando Frazão/Agência Brasil

A paralisação de metroviários e ferroviários na cidade de São Paulo está confirmada das 0h às 23h59 desta terça-feira (28).

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

A decisão foi anunciada por representantes dos sindicatos dos Metroviários, Ferroviários e Trabalhadores do Saneamento e Meio Ambiente após reunião de duas horas com secretários estaduais na tarde desta segunda-feira (27).

Participarão da greve unificada os trabalhadores de Metrô, CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), Sabesp, professores da rede pública e de servidores da Fundação Casa. De acordo com o governo, as linhas sob concessão —4-amarela, 5-lilás, 8-diamante e 9-esmeralda— vão funcionar normalmente.

A decisão havia sito tomada pelas categorias em votações com os funcionários e foi ratificada na reunião realizada nesta segunda (27), na sede da Secretaria de Parcerias em Investimentos, entre os representantes dos sindicatos e cinco secretários do governo estadual: Natália Resende (Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística), Gilberto Kassab (secretário de Governo e Relações Institucionais), Renato Feder (Educação), Artur Lima (Casa Civil) e Rafael Benini (Parcerias em Investimentos).

Entre os representes dos funcionários dos órgãos estaduais, estavam Edson de Souza Pinto, diretor do Sintaema (Sindicato dos Trabalhadores em Saneamento e Meio Ambiente de São Paulo), Eluiz Alves de Matos, presidente do Sindicato dos Ferroviários, e Camila Lisboa, presidente do Sindicato dos Metroviários.

Segundo Lisboa, no encontro foi apresentado um pedido para que que a gestão Tarcísio de Freitas (Republicanos) suspendesse a lei sobre a privatização da Sabesp que tramita na Alesp e realizasse um plebiscito sobre privatizações, além da garantia de catraca livre nas estações, o que não foi atendido pelo governo. Com isso, a greve foi mantida.

O secretário da Casa Civil, Artur Lima, disse que a discussão sobre as privatizações deve acontecer na Assembleia Legislativa. "Estamos falando de milhões de pessoas que vão ficar impedidas de acessar o transporte público por causa de uma questão política", afirmou.

Em relação à proibição da catraca livre nas estações, o secretário afirmou que a possibilidade foi vetada por uma questão de segurança. "Não sabemos a quantidade de pessoas que vão entrar nas estações."

"Entendemos essa greve como um movimento político", disse Lima. "Mas vamos respeitar a decisão do movimento sindical". Segundo o secretário, foi proposto um canal de diálogo com as centrais sindicais. "Vamos exigir o cumprimento da decisão judicial."

Na manhã desta segunda, o governo Tarcísio pediu à Justiça do Trabalho que os funcionários do Metrô e da CPTM fossem obrigados a trabalhar com efetivo total nos horários de pico durante a greve, e com 80% dos funcionários no restante do dia.

O desembargador Marcelo Freire Gonçalves, do TRT-2, no entanto, determinou que os funcionários do Metrô trabalhem com 80% da capacidade total nos horários de pico e 60% nos demais. Em uma decisão separada, o desembargador Fernando Alvaro Pinheiro determinou que trabalhadores das linhas da CPTM garantam 85% de seu contingente nos horários de pico e 60% no restante da grade.

No Metrô, o horário de pico considerado pelo desembargador é das 6h às 9h e das 16h às 19h. Para a CPTM, porém, os horários considerados como pico vão das 4h às 10h e das 16h às 21h.

O sindicato que representa a categoria já disse que não aceitará a determinação da Justiça.
"Se o Metrô falar que vai liberar a catraca, amanhã a gente abre normal. Mas ainda não há acordo. O que eles pedem é praticamente para o metrô funcionar igual. Se for funcionar igual não é uma greve", disse Altino de Melo, diretor do Sindicato os Metroviários.

Na greve do dia 3 de outubro houve a mesma negociação, mas o governo não liberou as catracas e tanto funcionários do Metrô quanto da CPTM descumpriram as decisões judiciais, argumentando que elas impediam o direito de greve. Os metroviários foram multados em R$ 2 milhões por causa desse descumprimento, e o gover no estadual pediu o pagamento de outros R$ 7,1 milhões por prejuízos causados pela paralisação. Eles recorrem das duas multas.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

CASOS EM ALTA

Dengue: grávidas e bebês podem usar repelentes?

Na busca por proteção, a procura por repelentes aumentou nas farmácias de todo o País; dermatologista orienta sobre o uso

DIA DO COMEDIANTE

Conheça influenciadores de humor que estão em alta na internet

Para o Dia do Comediante, a Gazeta separou cinco perfis do Instagram que estão em alta entre os usuários da rede social

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter