X

EM FRENTE AO ESTÁDIO

Tarcísio anuncia piscinão e canalização de córrego no Morumbi

Evento foi realizado nas cercanias do estádio do MorumBis, do São Paulo; presidente e ídolo do tricolor participaram da cerimônia

Bruno Hoffmann

Publicado em 29/01/2024 às 13:46

Atualizado em 29/01/2024 às 13:54

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Mauro Silva, Tarcísio de Freitas e Zetti, ex-goleiro e ídolo do São Paulo / Francisco Cepeda/Governo de SP

O governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) anunciou na manhã desta segunda-feira a construção de um novo piscinão e a canalização de um trecho do do córrego Antonico, ambos no Morumbi, na zona sul da Capital. O evento foi realizado nas cercanias do estádio do São Paulo Futebol Clube (rebatizado recentemente como MorumBis). O investimento total estimado é de R$ 117 milhões.

“É uma obra de vulto, muito importante para o combate às cheias, esperada há muito tempo e que vai beneficiar toda a região de Paraisópolis e do Morumbi”, afirmou Tarcísio.

A cerimônia contou com o presidente do São Paulo, Julio Casares, com o diretor da Federação Paulista de Futebol, Mauro Silva, e com o prefeito Ricardo Nunes (MDB), entre outras autoridades. A diretoria do tricolor pressionava a gestão pública para fazer as obras, para poder formular os estudos para a modernização do estádio.

O novo piscinão terá capacidade para armazenar mais de 44 milhões de litros de água – o equivalente a 18 piscinas olímpicas. A previsão é que a obra fique pronta em 2026 e beneficie mais de 1 milhão de moradores da região e locais com grande fluxo de pessoas, como o estádio e o clube social do São Paulo, o hospital Albert Einstein e as instituições de ensino Santo Américo e Visconde de Porto Seguro.

O reservatório ficará embaixo da praça Alfredo Gomes, no extremo da avenida Jules Rimet, e terá um formato circular, com mais de 27 metros de profundidade e 48 metros de diâmetro. Uma vez pronto, receberá as águas do córrego Antonico, que se origina em Paraisópolis e passa sob o estádio do Morumbi e a avenida Jorge João Saad.

Segundo o governo, o piscinão vai acumular o excesso de água durante chuvas intensas e proteger o sistema de drenagem urbana. Indiretamente, a obra também terá impacto positivo nas regiões próximas ao córrego Pirajuçara, onde o Antonico desemboca, e ao rio Pinheiros, que recebe as águas dos dois afluentes.

Simultaneamente, o governo também vai canalizar um trecho de quase um quilômetro do córrego Antonico e revitalizar a praça Alfredo Gomes. Também haverá a instalação de 1,1 quilômetro de galerias de drenagem no entorno. Após a conclusão das obras, a Prefeitura de São Paulo ficará encarregada pela operação do piscinão.

Por sua vez, a prefeitura anunciou que vai implementar mais dispositivos de combate a enchentes na zona sul paulistana. Um deles será um segundo reservatório na praça Roberto Gomes Pedrosa, em frente ao portão principal do estádio do Morumbi, com capacidade para 133,6 milhões de litros de água – o equivalente a 53,6 piscinas olímpicas.

Os dois piscinões serão interligados pelo trecho canalizado pelo Governo de São Paulo. Juntas, as estruturas poderão reter mais de 177,6 milhões de litros de água.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Gazeta Mais

As férias escolares chegaram! Veja 5 dicas para combinar diversão com aprendizado

Especialista explicam as melhores opções

SAÚDE

Dr. Bactéria dá dicas para deixar a casa sempre limpa

Da cozinha ao banheiro, biomédico Roberto Figueiredo, conhecido como Dr. Bactéria, explica o que é certo e o que é errado na hora de limpar a casa

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter