X

ENSINO EM SP

Tarcísio visa melhorar estrutura das escolas antes de ampliar ensino de tempo integral

Governador de SP afirmou que sua aposta para melhorar a qualidade da educação paulista é a ampliação do ensino profissionalizante

ISABELA PALHARES - Folhapress

Publicado em 03/02/2023 às 14:35

Atualizado em 03/02/2023 às 14:58

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

A gestão de Tarcísio também tem defendido a inclusão de novas disciplinas na grade escolar, a exemplo de programação e educação financeira, como forma de tornar o ensino mais atraente para os jovens / Marcello Casal Jr./Agência Brasil

No primeiro dia de aulas das escolas estaduais de São Paulo, o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) disse que não vai manter a política de expansão acelerada do modelo de ensino integral. Para ele, é preciso antes investir na qualidade das que já possuem a jornada ampliada.

"Nesse primeiro momento, não vamos continuar ampliando. Não adianta aumentar o tempo integral sem qualificar e estruturar as que já têm", disse o governador nesta sexta-feira (3). Ele acompanhou o primeiro de aulas na escola estadual Rômulo Pero, na zona norte da capital.

A expansão das escolas de tempo integral foi a principal aposta da gestão de João Doria e Rodrigo Garcia (PSDB) para o ensino paulista nos últimos quatro anos. Em 2019, 417 unidades da rede estadual tinham o modelo. Em 2023, são 2.311 com a modalidade.

A implantação acelerada trouxe problemas para a rede de ensino paulista, como falta de vagas em regiões da Capital e a transferência de alunos para o ensino noturno. Em alguns casos, as escolas também passaram a receber os estudantes por mais tempo mesmo sem ter estrutura adequada para isso.

"Vamos olhar a infraestrutura das escolas que já têm o modelo e cuidar delas. Houve uma ampliação muito rápida nos últimos anos e agora precisamos olhar para o que faltou. Vamos melhorar a infraestrutura, preparar bons materiais didáticos", disse o governador.

Tarcísio afirmou que sua aposta para melhorar a qualidade da educação paulista é a ampliação do ensino profissionalizante. "Temos o desafio adicional de agregar o ensino profissionalizante nas escolas de tempo integral. Por isso, vamos ter esse cuidado e zelo na ampliação."

No início de janeiro, Renato Feder, secretário de Educação, disse que a meta do governo é ter metade das matrículas do ensino médio com a oferta de ensino profissionalizante. Atualmente, só 10,6% (cerca de 143,8 mil de uma rede com mais de 1,35 milhão nessa etapa) dos alunos da rede estadual estão em cursos técnicos.

A gestão de Tarcísio também tem defendido a inclusão de novas disciplinas na grade escolar como forma de tornar o ensino mais atraente para os jovens. Entre os planos está, a partir de 2024, implantar aulas de programação e educação financeira no currículo das escolas.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

CRIME DE TRÂNSITO

Motoristas pagam R$ 600 por dispositivo anti-multa

Golpe da folha magnética permite encobrir caracteres da placa do veículo

Licitação

Prefeitura de Cafelândia abre licitação de R$ 611 mil para pavimentação.

Critério de julgamento será de menor preço global; Abertura da sessão pública será dia 17 de junho, às 9h

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter