X

OPERAÇÃO GRANDIOSA

Transporte de trem da China para SP envolve guindaste e 50 funcionários; entenda

Primeira composição de trem para a Linha 17-Ouro chegará a São Paulo com operação especial

Matheus Herbert

Publicado em 16/05/2024 às 15:00

Atualizado em 16/05/2024 às 15:38

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Trem da China será utilizado na Linha-17 Ouro do Metrô de SP

O governo de São Paulo e as autoridades chinesas montam uma operação especial e de grandes proporções para que o primeiro trem da Linha 17-Ouro chegue a São Paulo. As obras Linha 17-Ouro do Metrô de SP estão atrasadas desde 2014. 

Siga a Gazeta nas redes sociais e mantenha-se bem informado!

Confira abaixo a logística preparada para transportar o trem. 

O transporte a navio envolve ao menos 50 funcionários. Os cinco vagões da composição do monotrilho pesam aproximadamente 16 toneladas cada, totalizando 80 toneladas.

O trem foi entregue ao Metrô de São Paulo no dia 26 de abril na cidade de Guang’an, na China, onde foi fabricado pela empresa BYD, e, na sequência, levado até o porto de Zhangjiagang, na região de Xangai.

Siga as notícias da Gazeta de S.Paulo no Google Notícias

“Lá no porto, os vagões se dividem por alguns níveis até chegar no ponto de carregamento. Cada um é içado para dentro do navio e é devidamente acomodado. O Metrô terá um código de rastreamento e vai acompanhar o trajeto até chegar ao Porto de Santos”, afirma o gerente da obra da Linha 17-Ouro, Roberto Torres.

Trem passou por testes e foi embalado 

Ainda na fábrica, o trem passou por testes estáticos e dinâmicos. Depois de ter o funcionamento atestado, os vagões foram desmembrados e embalados individualmente para o carregamento até o porto chinês, onde foi feita uma análise detalhada da carga, incluindo o peso, dimensões e centro de gravidade.

De acordo com o governo de São Paulo, esse processo é essencial para determinar os requisitos do guindaste e o posicionamento ideal do trem no navio.

Na sequência, os operadores de guindaste realizam a montagem do chamado “rigging”, que consiste em cabos, correntes e dispositivos de elevação. O conjunto é projetado para distribuir uniformemente a carga e garantir sua estabilidade durante o içamento.

O trem é posicionado em um pátio próximo ao cais, onde é amarrado firmemente para o içamento. Uma vez elevado, a composição é movida horizontalmente em direção ao convés do navio.

Navio utilizado para transportar trem tem 180 metros de comprimento 

Com o trem posicionado, o guindaste baixa a carga para a posição final. O controle do guindaste é crucial para evitar danos à carga ou ao navio. A carga é fixada no convés por cintas, correntes ou estacas, evitando movimentos indesejados durante a viagem marítima. A operação envolve cerca de 20 funcionários.

Com tripulação de 26 pessoas, o navio “Kong Que Song” tem cerca de 180 metros de comprimento e 27 metros de largura. O içamento dos vagões é feito por guindastes da própria embarcação.

O trem que está programado para chegar em São Paulo em julhoO trem que está programado para chegar em São Paulo em julho. Foto: Divulgação/Governo de SP

Da China ao Pátio Água Espraiada, em São Paulo 

O trajeto marítimo vai passar por Suape, no Pernambuco, e em Vitória, no Espírito Santo, antes de atracar no Porto de Santos, no litoral de São Paulo. A estimativa é que o navio chegue no Litoral em meados de julho.

A carga então passa pelo processo de desembaraço de importação. Na sequência, cada vagão será carregado individualmente em carretas, formando um comboio de cinco veículos que levará a composição até o Pátio Água Espraiada, para a montagem e início dos protocolos de teste, necessários para a emissão dos certificados de segurança e a liberação para a operação. No ano que vem, começam os testes dinâmicos na via operacional.

Contando as operações em mar e terra, são cerca de 50 funcionários envolvidos no transporte dos vagões.

Trem em São Paulo terá capacidade para 600  passageiros 

As composições foram projetadas exclusivamente para atender ao projeto da Linha 17-Ouro do Metrô de São Paulo. Com 60 metros de extensão e capacidade para mais de 600 passageiros, o trem é equipado com sistema de ar-condicionado, iluminação LED, câmeras de vigilância e sistema de detecção e combate a incêndio.

O novo trem faz parte de um lote de 14 unidades encomendadas pelo Metrô de São Paulo junto à BYDO novo trem faz parte de um lote de 14 unidades encomendadas pelo Metrô de São Paulo junto à BYD. Foto: Divulgação/Governo de SP 

“O trem foi desenvolvido segundo as características passadas pelo Metrô. Ou seja, é um trem customizado. É com base nas vigas guia (da Linha 17-Ouro) que eles desenvolveram o truque do trem”, explica Roberto Torres.

Ao todo, a empresa paulista encomendou 14 unidades junto à BYD. O cronograma prevê a chegada do segundo trem ainda este ano. Os demais serão entregues gradativamente ao longo de 2025.

Os veículos contam com assentos prioritários e áreas para deficiente, sistema de comunicação audiovisual aos passageiros, com mapa de linha dinâmico e intercomunicador para contato ao Centro de Controle Operacional (CCO). Além disso, os carros dispõem de um sistema de bateria que garante autonomia de tração entre as estações.

O cronograma estabelecido define a chegada do segundo trem ainda este ano e os demais sendo entregues no Brasil gradativamente em 2025O cronograma estabelecido define a chegada do segundo trem ainda este ano e os demais sendo entregues no Brasil gradativamente em 2025. Foto: Divulgação/Governo de SP


 

 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

CRIME DE TRÂNSITO

Motoristas pagam R$ 600 por dispositivo anti-multa

Golpe da folha magnética permite encobrir caracteres da placa do veículo

Licitação

Prefeitura de Cafelândia abre licitação de R$ 611 mil para pavimentação.

Critério de julgamento será de menor preço global; Abertura da sessão pública será dia 17 de junho, às 9h

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter