X

Cassação em Embu das Artes

Vereador denuncia gastos excessivos em shows e tem seu mandato cassado em Embu das Artes

Vereador Abidan Henrique (PSB) teve seu mandato cassado nesta quarta-feira (28) após acusar a Prefeitura de Embu das Artes de desvio de dinheiro

Portal Taboanense e GSP

Publicado em 29/02/2024 às 18:30

Atualizado em 29/02/2024 às 18:48

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Vereador Abidan Henrique (PSB) teve seu mandato cassado nesta quarta-feira (28) após acusar a prefeitura de Embu das Artes de desvio de dinheiro / Divulgação

Siga as notícias da Gazeta de S.Paulo no Google Notícias

Os vereadores de Embu das Artes votaram nesta quarta-feira, dia 28, pela cassação de Abidan Henrique (PSB), único parlamentar de oposição ao governo do prefeito Ney Santos (Republicanos). Foram 14 votos favoráveis, um contrário e uma abstenção. O vereador Gideon Santos (Republicanos) votou contra a perda de mandato.

Leia Também

• Embu das Artes celebra 65 anos de emancipação com inaugurações

A Comissão de Ética da Casa alegou quebra de decoro parlamentar para abrir o processo de cassação, que foi uma resposta às declarações de Abidan em uma transmissão nas redes sociais, após não conseguir espaço para discursar em uma sessão onde denunciou que a prefeitura havia destinado R$ 2,5 milhões das áreas da Saúde e Segurança para a contratação de shows dos artistas Wesley Safadão, Leonardo e Jorge e Mateus, no festival Embu Country Fest em 2023, e no cantor Léo Santana, no aniversário da cidade dia 18 de fevereiro. No vídeo, o político fala que “os demais vereadores fugiram como ratos” e que “essa Câmara virou uma várzea e uma patifaria”.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Após a sessão que cassou seu mandato, Abidan usou as redes sociais para lamentar o resultado do processo. “Infelizmente, os vereadores da base do Governo votaram em peso pela cassação do nosso mandato. Uma mancha na história da Câmara de Embu, uma vergonha”.

O político reafirmou que o processo de cassação foi por vingança. “O prefeito para se vingar, porque nós denunciamos que ele tirou dinheiro da Saúde e da Segurança Pública, e fez essa covardia… ele se acha dono da cidade, e é por isso que ele cassou o nosso mandato… Nós estamos aqui lutando pelo interesse da população”, disse Abidan.

Justiça: processo que liga prefeito de Embu das Artes ao crime organizado é arquivado

Em nota, o presidente da Câmara, Gilson Oliveira (Republicanos), disse que “a decisão de cassar o mandato do então vereador Abidan foi tomada com base em evidências substanciais e em consonância com os valores democráticos e éticos que regem nossa instituição. Estamos comprometidos em manter a integridade e a dignidade do nosso legislativo, assegurando que todos os representantes eleitos ajam de acordo com os mais altos padrões de conduta”.

Abidan disse que irá apresentar um recurso contra a cassação. “O trabalho continua, amanhã vamos para rua denunciar. Todo mundo precisa saber que o prefeito de maneira covarde, retirou o único mandato de oposição que estava denunciando toda essa gastança, toda essa farra com o dinheiro público…. Amanhã, eu com a minha equipe de advogados vamos entrar na justiça para pedir a reintegração do nosso mandato”, declarou Abidan Henrique.

*Texto sob supervisão de Matheus Herbert

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Transportes

SPTrans abre Licitação para centralizar arrecadação bilionária do Bilhete Único

Empresa busca instituição financeira para gerenciar cerca de R$ 7,2 bilhões arrecadados anualmente com o Bilhete Único

NEGÓCIOS e economia

Fusão com Grupo Soma: Arezzo&Co; muda nome para Azzas 2154

Nova denominação faz parte da fusão com o Grupo Soma e ações serão negociadas na B3 sob o ticker "AZZA3"

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter