X

Instituto Polis

Violência contra pessoas LGBTQIA+ cresceu 15 vezes nos últimos 7 anos em SP

Desde 2019 homofobia configura crime no Brasil; os bairros com mais ocorrências foram República, Bela Vista e Consolação

Yasmin Gomes

Publicado em 15/05/2024 às 16:30

Atualizado em 15/05/2024 às 16:49

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Em 2015 foram registrados 63 boletins de ocorrência, já em 2022, 960 boletins, um aumento de 1.424% / Tânia Rego/Agência Brasil

De acordo com um levantamento realizado pelo Instituto Polis, o número de registros por homofobia e transfobia cresceu mais de 15 vezes entre 2015 e 2022 em São Paulo.

Siga a Gazeta nas redes sociais e mantenha-se bem informado!

Aumento de 1.424%

Em 2015 foram registrados 63 boletins de ocorrência, já em 2022, 960 boletins, um aumento de 1.424%. Nos últimos nove anos, foram 3.868 vítimas.

Segundo o Instituto, em 2023, 435 casos foram registrados, porém não pode ser caracterizado uma queda, já que os dados mais recentes demoram para ser consolidados. 

Siga as notícias da Gazeta de S.Paulo no Google Notícias

Violência nas unidades de saúde

Também foi realizado um levantamento a respeito das notificações de violência LGBTfóbica nas unidades de saúde da capital: entre 2015 e 2023, houve aumento de 10,8 vezes, cerca de 981%.

Desde 2019 homofobia configura crime no Brasil, assim como o racismo, segundo entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF). A pena pode variar de 1 a 5 anos de prisão.

Os dados foram obtidos por meio das ocorrências registradas na Polícia Civil e das agressões notificadas pelos serviços de saúde.

Concentração de ocorrências na região de festas

Entre 2015 e 2022, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) registrou 525 casos de lesão corporal e violência doméstica classificadas por homofobia e transfobia na capital. Os bairros com mais ocorrências foram República, Bela Vista e Consolação.

A principal concentração de ocorrências está na região de festas, bares, lazer e ativismo LGBTQIA+, entretanto 49% das vítimas sofreram violência em casa. 55% dos boletins de ocorrência constataram violências em espaços públicos e 30% vítimas atendidas no sistema de saúde têm até 19 anos de idade.

Posicionamento do governo estadual

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) de São Paulo disse que os crimes de homofobia e transfobia tiveram uma redução de 31% na capital em comparação com 2022.

Todos os distritos policiais do estado estão aptos a acolher as vítimas, registrar e investigar os crimes. As ocorrências também podem ser comunicadas pela internet, por meio da Delegacia da Diversidade online.

*Texto sob supervisão de Diogo Mesquita

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Brasil

Confira o resultado da Lotofácil no concurso 3114, nesta segunda

O prêmio é de R$ 1.700.000,00

Brasil

Confira o resultado da Lotomania no concurso 2626, nesta segunda

O prêmio é de R$ 600.000,00

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter