X

Fique atento

Como a qualidade do ar pode impactar na saúde

De acordo com a Cetesb, a qualidade do ar pode agravar doenças respiratórias e afeta a qualidade de vida da população; veja

Suzana Rodrigues

Publicado em 01/04/2024 às 11:00

Atualizado em 01/04/2024 às 13:39

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Tosse seca em SP é ocasionad pelo fenômeno 'El Ninõ' / Annie Spratt/ Unsplash

A Companhia Ambiental do estado de São Paulo (Cetesb) mostra como a qualidade do ar pode afetar a vida da população e piorar doenças respiratórias. O levantamento feito pela Gazeta mostrou que a qualidade do ar de São Paulo piorou significativamente em fevereiro de 2024.

Confira como a qualidade do ar pode afetar sua saúde:

Níveis de qualidade o ar

Para que ar seja considerado ruim é preciso medir os níveis de partículas inaláveis (MP10), partículas inaláveis finas (MP2,5), fumaça (FMC), ozônio (O3), monóxido de carbono (CO), dióxido de nitrogênio (NO2) e dióxido de enxofre (SO2).

Analisando todos esse componentes, se chega a uma escala que vai de 0 a 200. Dessa forma, o a qualidade do ar é classificada da seguinte maneira: 0 a 40 bom, 41 a 80 moderado, 81 a 120 ruim, 121 a 200 muito ruim e superior a 200 péssima.

Cada uma dessas classificações terá um impacto na saúde; veja abaixo:

Moderada

Pessoas de grupos sensíveis (crianças, idosos e pessoas com doenças respiratórias e cardíacas) podem apresentar sintomas como tosse seca e cansaço.

Ruim

Toda a população pode apresentar sintomas como tosse seca, cansaço, ardor nos olhos, nariz e garganta. Pessoas de grupos sensíveis (crianças, idosos e pessoas com doenças respiratórias e cardíacas) podem apresentar efeitos mais sérios na saúde).

Muito ruim

Toda a população pode apresentar agravamento dos sintomas como tosse seca, cansaço, ardor nos olhos, nariz e garganta e ainda falta de ar e respiração ofegante. Efeitos ainda mais graves à saúde de grupos sensíveis (crianças, idosos e pessoas com doenças respiratórias e cardíacas).

Péssima

Toda a população pode apresentar sérios riscos de manifestações de doenças respiratórias e cardiovasculares. Aumento de mortes prematuras em pessoas de grupos sensíveis.

Como prevenir que haja piora nas doenças?

De acordo com a companhia, caso o estado do ar não esteja bom é recomendado que pessoas com doeças pulmonares e cardíacas, principalmente, deve evitar fazer esforço físico pesado ao ar livre e evitar vias de tráfego intenso.

Caso não tenha doenças, a recomendação é reduzir os esforços fisicos ao ar livre.
 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Despoluição

Ex-governador prometeu que 'beberia água do Tietê'

Luiz Antônio Fleury Filho morreu em 2022 sem conseguir cumprir promessa feita no início de seu programa

PROTESTO EM SP

VÍDEO: Presença de Tarcísio é motivo de protesto na USP

Evento celebrava a posse do novo procurador-geral; protesto teve relação com o projeto das escolas cívico-militares

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter