X

ESPECIAL TURISMO

Ilha do Montão do Trigo: Conheça o paraíso do litoral norte

Localizada em São Sebastião, a ilha tem águas cristalinas, muita natureza e uma história de impressionar; saiba mais

Leonardo Sandre

Publicado em 19/04/2024 às 13:25

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Ilha Montão do Trigo, em São Sebastião / Rodrigo Nathan

No Brasil, há diversos pontos turísticos que impressionam os visitantes e que tendem a ser pouco conhecidos pelos brasileiros. Em São Paulo não é diferente, especialmente, no interior e no litoral do Estado.

Siga as notícias da Gazeta de S.Paulo no Google Notícias

Um grande exemplo disso é a Ilha do Montão do Trigo (ou Ilha Monte de Trigo), localizada em São Sebastião, próximo também de Bertioga. Com águas cristalinas e uma estética muito bela, a ilha impressiona turistas que a visitam.

Abaixo, veja mais detalhes sobre a ilha, como chegar, quais atrações existem e imagens do local.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Parte da ilha Montão do TrigoImagem de uma parte da ilha Montão do Trigo/Rodrigo Nathan

Como é a Ilha Montão do Trigo?

O local está localizado a cerca de 14 quilômetros da costa sul do município de São Sebastião e é repleto de uma beleza natural e tradição.

A ilha é rodeada por águas limpas, cristalinas e conta com uma diversa presença de vida marinha.

Há uma lenda de que os primeiros habitantes da Ilha do Montão do Trigo foram piratas que saqueavam pelas regiões próximas. Para isso, esses homens teriam construído alguns abrigos em uma ilha inabitada, com 13 quilômetros da costa de distância, a Ilha do Montão de Trigo.

De acordo com a história, os moradores atuais da ilha são descendentes desses piratas.

Como chegar na Ilha Montão do Trigo?

A forma mais prática de chegar ao local é por meio de um transporte de barco contratado, feito pelos próprios moradores do litoral, nas praias de Juqueri ou da Barra do Una. O desembarque na ilha é feito na parte das pedras, em um píer de madeira improvisado, já que não possui uma praia.

Ilha Montão do Trigo, no litoral norteIlha Montão do Trigo, no litoral norte / Rodrigo Nathan

Há sinal de internet?

Nos local é possível ter acesso a internet. O topo da ilha guarda algumas torres retransmissoras de sinais, o que torna Montão de Trigo um dos pontos mais conectados do litoral paulista, apesar de sua localização mais isolada.

Atrações durante a visita

Algumas opções de lazer estão disponíveis para quem visitar o local.

Trilha

É possível fazer uma trilha com duração aproximada de 50 minutos até o topo da ilha. São quase 300 metros de altura que permitem que os turistas, uma vez no topo, sejam capazes de observar todo o Canal de São Sebastião.

Mergulho

A água do local é cristalina e muito bem preservada. Vários peixes são visíveis e, no verão, a água é mais quente. Uma opção muito procurada por quem visita o local é o mergulho para aproveitar essa oportunidade. Mergulhadores, até mesmo profissionais, costumam visitar a ilha para isso.

Windsurf

O windsurf é outra atividade realizada no local. A modalidade compõe uma prancha e uma vela, praticada geralmente em águas sem muitas ondas.

Ilha Montão do Trigo, no litoral norteIlha Montão do Trigo, no litoral norte /Rodrigo Nathan

Por que o nome "Montão do Trigo"?

A origem do nome “Montão de Trigo” se deve ao formato da ilha, que, vista de cima, faz lembrar uma quantidade da farinha.

Onde passar a noite?

Algumas pousadas próximas aos locais para pegar os barcos em direção a ilha são opções para os turistas. A Pousada Una e a Pousada Montão do Trigo são as opções mais conhecidas.

É possível morar no local?

Uma curiosidade da ilha Montão do Trigo é de que não é possível simplesmente escolher morar no local.  Desde 2012 os moradores da ilha têm o direito de uso exclusivo de Montão do Trigo. Foi o primeiro caso de concessão de um Termo de Autorização de Uso Sustentável para os moradores de uma ilha.

Apenas os monteiros (como são chamados os habitantes) nativos podem morar lá. Ou seja: só é possível residir no local caso seja nascido por lá ou se case com algum nativo.

Os habitantes, porém, não podem vender suas casas, apenas usá-las, com a garantia de que ninguém poderá tirá-los de lá.

Como vivem os moradores?

Devido as restrições que impedem pessoas de fora a se tornarem moradores, os nativos acabam se casando entre famílias (primos, tios e sobrinhos) e, segundo relatos locais, a maioria, por conta deste fato, possui o mesmo sobrenome: Oliveira.

Os monteiros vivem quase que apenas da pesca, que é praticada no local, visto que as águas da ilha são repletas de peixes. Entre as espécies mais fartas estão as garoupas, sororocas, lulas e bicudas — o peixe mais tradicional da ilha.

As refeições são tipicamente caiçaras, com arroz com peixe e banana. O que sobra, como parte de renda, é levado pelos moradores para ser vendido na Barra do Una, localizado a cerca de meia hora de barco do local.

Refrigeradores não são comuns no local. Os peixes capturados ou são vendidos rapidamente ou são mantidos vivos dentro de tambores com água. Com isso, a garantia é de um peixe sempre fresco para as refeições.

A energia vem de placar solares, mas não é garantido que todos os aparelhos poderão funcionar o dia inteiro.

No local, além das casas, há ainda uma igreja, uma escola e um campo de futebol improvisado.

Na escola local, todos os alunos necessitam estudar juntos, independentemente da idade, pois há apenas uma sala de aula. A professora chega na ilha na segunda-feira e reside na escola até sexta.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

pornografia infantil

Rede de pedofilia em Campinas utiliza códigos para se comunicar em aplicativos

A operação iniciou após uma denúncia feita por uma ONG internacional

Brasil

Confira o resultado do Timemania no concurso 2098, nesta terça

O prêmio é de R$ 3.000.000,00

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter