Publicidade

X

Feminicídio

PM agride e mata esposa a tiros em rua da zona norte de SP; veja vídeo

A vítima foi atingida por cinco socos no rosto e dois dos três disparos feitos pelo assassino; crime foi gravado por câmera de segurança

Da Reportagem

Publicado em 04/12/2023 às 14:14

Atualizado em 04/12/2023 às 16:50

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Nas imagens, o policial aparece dando uma série de socos no rosto da mulher e em seguida atirando nela / Reprodução

Um policial militar agrediu e matou a esposa a tiros após uma discussão em um carro, na zona norte de São Paulo. Preso em flagrante, o soldado Thiago Cezar de Lima, 36 anos, estava casado há seis meses com Erika Satelis Ferreira de Lima, de 33. A vítima foi atingida por cinco socos no rosto e dois dos três disparos feitos pelo assassino.

Em um vídeo gravado por uma câmera de segurança de um imóvel na Rua Bananalzinho, em Perus, é possível ver quando Erika abre a porta da posição de motorista, dá a volta no veículo e abre a porta traseira. No banco de trás está Thiago. Ela tenta tirá-lo de lá, mas não consegue. Ambos saem do automóvel e começam a discutir do lado de fora.

Logo depois, o policial a paisana aparece dando uma série de socos no rosto da mulher. Em seguida ele dá tiros nela, que cambaleia e bate a cabeça no porta-malas, caindo no chão.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Após os disparos, o soldado entra no carro e acelera o veículo, mas retorna e arrasta Erika para o banco do passageiro. Toda a ação foi acompanhda moradores da rua, que saíram de suas casas para saber o que aconteceu. As cenas, que circulam nas redes sociais, estão sob análise da Polícia Civil, que investiga o caso.

Thiago levou a vítima até o Pronto-Socorro de Taipas, onde a morte dela foi confirmada. Segundo o boletim de ocorrência do caso, ele confessou ter atirado na esposa após discussão e alegou que ela havia tentado pegar sua arma e por isso disparou contra ela. 

 Erika deixa duas filhas de um relacionamento anterior. 

A pistola Glock calibre .40 do policial militar foi apreendida para perícia. A Corregedoria da PM foi acionada para apurar a conduta do agente. Ele também responderá criminalmente na Polícia Civil.

O caso foi registrado no domingo (3) como feminicídio na 4ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) Norte. Thiago foi levado para o Presídio Romão Gomes, da PM, que fica na região. O soldado passará por audiência de custódia na tarde desta segunda-feira (4). A Justiça decidirá se ele continuará preso ou se responderá o crime em liberdade.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Esportes

Corinthians é eliminado do Campeonato Paulista

Agora, o clube terá que conquistar a vaga na Copa do Brasil de 2025 de outro jeito

Mundo

Pesquisa afirma que Trump tem 48% das intenções de voto nos EUA

Os resultados mostram que 48% dos entrevistados afirmaram que votariam em Trump

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter