últimas notícias
Corpo do policial Nélio Rego Lione, de 44 anos foi encontrado carbonizado e com três marcas de tiro em um dos braços
Corpo do policial Nélio Rego Lione, de 44 anos foi encontrado carbonizado e com três marcas de tiro em um dos braços
Foto: REPRODUÇÃO/ARQUIVO PESSOAL

Traição pode ter motivado assassinato de policial em Guarulhos

Corpo de policial foi encontrado carbonizado dentro de um carro; esposa confessou o crime

Uma possível traição conjugal pode ter causado a morte do cabo da Polícia Militar Nélio Rego Lione, 44 anos. O policial foi encontrado carbonizado dentro de um carro, na estrada do Sabão, em Guarulhos, no último sábado (18). A mulher da vítima, também cabo da PM Nagmar Pinheiro Pereira confessou o crime. O caso ainda é investigado.

Na última segunda-feira, em depoimento Nagmar confessou o crime. De acordo com a polícia, ela teria informado que contou com a participação de outra policial feminina. A Corregedoria da Polícia Militar pediu a prisão preventiva das duas. Nagmar teria descoberto uma possível traição conjugal.

O corpo da vítima estava no banco de trás do carro, enrolado por um edredom e com a cabeça descoberta. O Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado para acabar as chamas, mas quando chegou a situação já estava controlada.

O cabo Lione era irmão de Gerice Lione, presidente da Câmara Municipal de Suzano, que também é policial militar. Ele atuava no 5º Batalhão da Polícia Militar de Guarulhos.

Antes de confessar o crime, a policial Nagmar havia informado que o carro carbonizado onde estava o corpo do marido era seu, mas quem usava o veículo era o marido.

Uma equipe de peritos esteve no local e identificou, preliminarmente, que a vítima tinha três marcas de tiro em um dos braços. Uma cápsula de munição deflagrada foi apreendida no local.

Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo, o processo está sob sigilo.

VÍDEO

Uma câmera de segurança registrou o momento em que o carro onde estava o corpo carbonizado do cabo da PM Nélio Rego Lione, de 44 anos, é deixado na estrada do Sabão, em Guarulhos.

No vídeo, é possível ver um Uno estacionando na rua. Na sequência, vem o Honda Fit onde o corpo do PM foi encontrado. Uma pessoa, que aparenta ser mulher, sai do carro e vai em direção ao Uno. Em seguida, um morador da rua ao lado chega e estaciona o carro.

A movimentação sugere que as pessoas que dirigem o Uno e o Honda tiveram que mudar de plano para abandonar o veículo com o corpo. Os dois carros manobram e voltam pela mesma via, na direção em que chegaram. O veículo foi abandonado a alguns metros do ponto onde a câmera registrou a movimentação inicial.

Tops da Gazeta