últimas notícias
Flaviana Gonçalves, Juan Victor, Ana Flávia Gonçalves e Romuyuki; pai, mãe e filho foram encontrados carbonizados e filha é suspeita
Flaviana Gonçalves, Juan Victor, Ana Flávia Gonçalves e Romuyuki; pai, mãe e filho foram encontrados carbonizados e filha é suspeita
Foto: REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Suspeito acusa filha de casal por mortes no ABC

Juliano de Oliveira Ramos teve a prisão temporária por 30 dias decretada e foi transferido para uma cadeia em São Caetano do Sul

A Polícia Civil de São Bernardo do Campo confirmou que o terceiro suspeito preso pelo assassinato de uma família encontrada carbonizada confessou envolvimento no crime e ainda acusou a filha das vítimas e a namorada dela de participação nas mortes. O crime aconteceu no dia 27 de janeiro no ABC Paulista. O suspeito Juliano de Oliveira Ramos Júnior prestou depoimento na segunda-feira (3). Outros dois suspeitos também foram presos. A investigação ainda tenta identificar um sexto suspeito.

Juliano é primo de Carina Ramos, que é namorada de Ana Flávia Gonçalves. Ana Flávia por sua vez é filha do casal de empresários Romuyuki e Flaviana Gonçalves e irmã do filho deles, Juan Victor, de 15. Romuyuki, Flaviana e Juan foram encontrados mortos e queimados dentro do carro da família, no último dia 28 de janeiro, na estrada do Montanhão, em São Bernardo do Campo.

DEPOIMENTO

Segundo Juliano disse aos investigadores da Delegacia de Investigações Criminais (Deic) de São Bernardo do Campo, ele, dois comparsas, Ana Flávia e Carina se reuniram para planejar o roubo à casa da família, num condomínio fechado em Santo André. Eles tinham a informação de que lá estavam guardados R$ 85 mil. Como não acharam dinheiro no cofre da residência, a família foi torturada e Carina e Flávia concordaram com o grupo em matar as vítimas.

PRESOS ATÉ O MOMENTO

Juliano teve a prisão temporária por 30 dias decretada pela Justiça ainda na segunda e foi transferido para uma cadeia provisória em São Caetano do Sul. Ana e Carina estão presas temporariamente desde 29 de janeiro no 7º Distrito Policial de São Bernardo também por suspeita de participação no crime.

Os outros dois presos são Guilherme Ramos da Silva e Michael Robert dos Santos. A polícia pediu a prisão temporária deles, mas a Justiça só autorizou a de um. O outro, porém, permanece detido em flagrante porque com ele foi encontrada uma arma ilegal, um revólver calibre 22.

A investigação ainda procura identificar um sexto integrante do grupo criminoso, um homem que, segundo Juliano, deu carona para eles após queimarem o Jeep Compass da família em São Bernardo.

O caso ainda é investigado.

Tops da Gazeta