últimas notícias

Grande São Paulo

Delegado Paulo Bilynskyj, de 33 anos, e a modelo Priscila Delgado de Barros, de 27 anos
Delegado Paulo Bilynskyj, de 33 anos, e a modelo Priscila Delgado de Barros, de 27 anos
Foto: Reprodução/Instagram

Caso de delegado e modelo morta no ABC é investigado como tentativa de assassinato e suicídio

Versão foi apresentada pelo delegado Paulo Bilynskyj; polícia apura se a modelo Priscila Barrios atirou no delegado e se matou depois

O caso do delegado civil ferido a tiros e da modelo morta será investigado como tentativa de assassinato e suicídio pela Polícia Civil. De acordo com o boletim de ocorrência (BO) realizado no 1º Distrito Policial (DP) de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, a linha da investigação é a de que Priscila Barrios, de 27 anos, atirou em Paulo Bilynskyj, de 33, e depois se matou.

O crime ocorreu na quarta-feira (20), dentro do apartamento do delegado no ABC paulista.

Paulo estava internado no Hospital Mário Covas, em Santo André, até esta quinta-feira (21). De acordo com policiais, o estado de saúde do delegado era estável.

O caso será apurado pela Corregedoria da Polícia Civil, para descobrir se o delegado cometeu alguma irregularidade funcional.

Em vídeo circulando nas redes sociais, Bilynslyj aparece em uma maca de hospital afirmando que a modelo era sua namorada. O delegado conta também que, após ver uma mensagem no celular dele, Priscila deu seis tiros quando ele saía do banho e que se suicidou em seguida.

Em nota enviada ao “G1”, portal de notícias da Rede Globo, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que a apuração do caso como tentativa de assassinato e suicídio ainda não foi concluída.

“O caso é investigado como tentativa de homicídio e suicídio pelo 1º DP de São Bernardo do Campo e a Corregedoria Auxiliar do Demacro também acompanha as apurações. Diligências estão em andamento e as equipes analisam imagens e realizam a oitiva de testemunhas. Todas as circunstâncias são apuradas. A Polícia Civil esclarece que a natureza da ocorrência é tipificada com as informações colhidas no momento do registro e pode ser alterada no decorrer das investigações, sem prejuízos às apurações”, informa a nota da pasta.

No BO, o delegado aparece como vítima de tentativa de assassinato e Priscila como autora do crime e vítima do suicídio.

VIZINHO.

No boletim de ocorrência, um vizinho do delegado contou que foi acordado com barulho de disparos vindo do apartamento de Paulo. O vizinho relatou também que escutou o delegado dizendo “não! não!”.

Ao ser questionado por investigadores, o vizinho revelou que não saberia contar sobre o relacionamento do delegado com a modelo, pois “nunca viu Priscila” antes.

POLICIAIS.

De acordo com três agentes da Polícia Militar (PM) que encontraram Paulo caído no elevador, o delegado estava consciente e falando que sua namorada tentou matá-lo dentro do apartamento.

Ainda de acordo com os agentes, eles precisaram arrombar uma porta da área de serviço para entrar no apartamento. Na área, encontraram Priscila “inconsciente”, mas com “sinais vitais”.

Inicialmente, Paulo e Priscila foram levados ao Hospital Green Line, em São Bernardo. A modelo não resistiu aos ferimentos e morreu.

Havia sangue no banheiro, no piso e em algumas paredes do apartamento, segundo os policiais.

De acordo com o boletim de ocorrência, seis armas e munições foram encontradas no apartamento. Marcas de tiro estavam na parede e projétil no chão.

Celulares, computadores, imagens das câmeras do prédio, armas e munições foram apreendidas. Segundo o registro da polícia, vestígios de pólvora foram encontrados na mão da modelo.

Um material genético no gatilho da pistola Glock 9 mm foi coletado e a polícia investiga se a modelo a usou.

Comentários

Tops da Gazeta