últimas notícias
 Cesar Augusto teria sido agredido pelos seguranças no último dia 2
Cesar Augusto teria sido agredido pelos seguranças no último dia 2
Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal

‘Apanhei de 5 caras algemado’, diz vendedor que acusa seguranças da CPTM de tortura; veja vídeo

Vídeos mostram jovem com a cabeça sangrando em uma sala e levando 'gravata' de segurança na Estação Francisco Morato; CPTM alegou que grupo jogou pedras

Um vendedor ambulante de 19 anos diz que apanhou de cinco seguranças da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) da estação Francisco Morato da Linha 7-Rubi. A agressão a Cesar Augusto Souza de Oliveira teria acontecido no dia 2 de julho. “Eu apanhei de cinco caras algemado”, disse em depoimento.

Em um vídeo é possível ver o ambulante com a cabeça sangrando. Ele alega que foi agredido com golpes de cassetete e em seguida teria sido torturado. Em outras imagens, o vendedor aparece sendo detido e imobilizado com um golpe no pescoço conhecido como ‘gravata’ pelos agentes de segurança da CPTM.

As gravações circulam nas redes sociais. A empresa afirma que os seguranças foram acionados porque um grupo jogava pedras na plataforma.

Cesar, o amigo e os seguranças da CPTM foram à delegacia da cidade, onde cada lado acusou o outro de ter começado a briga. Foi registrado boletim de ocorrência para apurar o crime de lesão corporal, no qual vendedores e seguranças aparecem ao mesmo tempo como agressores e vítimas.

A CPTM afirmou ao “G1” que "quatro pessoas, que estavam sentadas em um muro ao lado da Estação Francisco Morato, começaram a jogar latas, garrafas e pedras na direção da plataforma 2, colocando em risco os passageiros que aguardavam o trem".

Ainda segundo o comunicado da CPTM, os "agentes de segurança foram acionados e, ao chegarem ao local, foram agredidos por dois homens. Com o apoio da PM, dois indivíduos foram conduzidos ao DP do município, onde foi lavrado o B.O. de lesão corporal e depois foram liberados".

Também ao “G1”, Cesar garantiu que foi torturado. “Só pelo fato de eu estar algemado e eles estarem em muitos, houve tortura”, disse o vendedor.

“Tenho marcas de que eles me bateram com cassetete e mascas das algemas. Machucaram todo meu braço. Meu rosto ficou com muito sangue caindo no meu olho. Eu estava tonto. Levei sete pontos na cabeça”, complementou o ambulante.

Cesar pretende entrar com um processo na Justiça contra os seguranças e a CPTM para pedir indenização por danos morais. Segundo ele, os agentes também o caluniaram e difamaram.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta