últimas notícias
Polícia investiga a motivação das mortes e a identificação dos envolvidos
Polícia investiga a motivação das mortes e a identificação dos envolvidos
Foto: REPRODUÇÃO

Resultado da perícia mostra que marmitas que mataram dois homens tinham veneno de rato

José Luiz de Araújo Conceição, de 61 anos, e Vagner Aparecido Gouveia de Oliveira, de 37, morreram no dia 21 de julho após comerem a comida

A comida entregue a dois homens em situação de rua e um cachorro em Itapevi, região da Grande São Paulo, tinha veneno de rato, segundo a perícia da Polícia Civil. As marmitas foram doadas por voluntários em um posto de combustível abandonado – outros dois adolescentes também passaram mal.

O José Luiz de Araújo Conceição, de 61 anos, e Vagner Aparecido Gouveia de Oliveira, de 37, morreram no dia 21 de julho após comerem a comida. O delegado Aloysio Mendonça Neto está investigando a motivação das mortes e trabalha na identificação dos envolvidos.

Ao “G1”, o delegado informou que o laudo do Instituto Médico Legal (IML) encontrou "terbufos, um componente altamente tóxico, usado na fabricação do famoso 'chumbinho'" em algumas marmitas e no estômago do cachorro. O resultado do laudo necroscópico nos homens deve confirmar a causa da morte.

"Tem comida de uma semana que está lá com eles. Pode ser essa comida estragada, que pode ter causado esse óbito, assim como pode ser uma contaminação proposital, um envenenamento. Só os laudos vão ajudar a dar uma resposta", afirmou o delegado dias antes.

De acordo com as testemunhas, os dois homens se queixaram sobre dor de barriga e espumaram pela boca após ingerirem a comida. Um outro homem, comerciante, pegou uma das marmitas, mas não comeu.
Ele levou o alimento para casa e entregou para a mulher, uma jovem de 17 anos, e para o filho, de 11 anos. Os dois comeram e precisaram ser internados em um hospital da cidade.

 

Comentários

Tops da Gazeta