últimas notícias
De acordo com o levantamento, a falta de sintomas prevalece em crianças menores de 10 anos
De acordo com o levantamento, a falta de sintomas prevalece em crianças menores de 10 anos
Foto: Eric Romero/PMSCS

Covid-19 infectou 6% do ensino infantil de São Caetano

Levantamento foi composto por 1.624 estudantes e 521 funcionários, que representaram uma população de 27.038 estudantes e 5.038 funcionários

Há uma baixa prevalência da Covid-19 em estudantes e funcionários do ensino infantil ao superior em São Caetano do Sul, no ABC Paulista. De acordo com o inquérito epidemiológico realizado na comunidade escolar pela prefeitura em parceria com o Instituto de Pesquisa da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (Inspes/USCS), a quantidade de pessoas infectadas ficou em 1,9% no ensino superior e 6,7% no infantil. Entre funcionários, a estimativa ficou em torno de 4,4%.

O levantamento foi composto por 1.624 estudantes e 521 funcionários, que representaram uma população de 27.038 estudantes e 5.038 funcionários. Todas as pessoas foram selecionadas aleatoriamente por nível de ensino.

“São Caetano é uma das primeiras cidades a estudar e apresentar resultados com a comunidade escolar. Hoje sabemos que a prevalência em escolares está muito próxima ao relatado nos inquéritos populacionais realizados no município, nos quais os valores são inferiores a 7%”, ressaltou a Secretária de Saúde, Regina Maura Zetone.

“As ações rápidas e bem aplicadas no combate à pandemia refletem a baixa prevalência encontrada e menor circulação de vírus no município. Porém, as escolas podem estar mais suscetíveis a surtos, o que demanda articulação entre saúde e educação na programação do retorno às aulas”, afirmou a secretária.

De acordo com o levantamento, a falta de sintomas prevalece em crianças menores de 10 anos. Outro ponto indicado no estudo é a proporção de estudantes no grupo de risco, no ensino médio 3,1% deles fazem parte do grupo de risco da doença. No entanto, cerca de 10 a 22% deles tem contato frequentemente com pessoas em grupo de risco.

“Do total acometido, a proporção de estudantes e funcionários que relataram dois ou mais sintomas, está diretamente ligada à faixa etária, já que saltou de 19% no Ensino Fundamental II, para 20% no Ensino Médio, 33% no Ensino Superior e 50% dos funcionários”, destacou a secretária.

Aulas

Nesta terça-feira (13), o secretário de Educação, Fabricio Faria, informou que a educação infantil e o ensino fundamental I não devem retomar as aulas presenciais ainda em 2020. As aulas para esses dois grupos seguem remotas até o dia 23 de dezembro. A decisão foi tomada com base nas orientações da Saúde, no inquérito epidemiológico realizado na comunidade escolar e em nova pesquisa de opinião realizada com os pais ou responsáveis dos alunos matriculados na rede municipal.

A decisão sobre as aulas do fundamental II e ensino médio deve ser divulgada neste mês ou em novembro. “E o Cartão Merenda Escolar será prorrogado. O pagamento do mês de outubro deverá ser feito na última semana do mês”, disse.

Comentários

Tops da Gazeta