últimas notícias
Givanilson Valdemir dos Santos matou a namorada Paula Patrícia de Mello com 21 facadas no ABC
Givanilson Valdemir dos Santos matou a namorada Paula Patrícia de Mello com 21 facadas no ABC
Foto: reprodução Facebook

Preso pula do 4º andar de hospital em São Caetano

SOB ESCOLTA. Givanilson Santos estava algemado na cama e sobreviveu à queda; ele foi detido após matar a namorada

O marceneiro Givanilson Valdemir dos Santos, preso na última semana suspeito de matar a namorada, Paula Patrícia de Mello, pulou da janela do quarto andar do hospital onde está internado, em São Caetano do Sul, no ABC Paulista. O caso aconteceu na manhã desta quinta. Givanilson sobreviveu à queda, mas corre risco de vida. De acordo com a Polícia Civil da cidade, ele estava algemado à grade da cama e sob escolta policial em um quarto do Complexo Hospitalar Marcia e Maria Brado, no bairro Santa Paula.

Ainda de acordo com a polícia, o marceneiro está detido desde o dia 2 de fevereiro, quando confessou ter esfaqueado e matado a namorada de 38 anos no apartamento do casal.

Em entrevista ao "G1", a secretária municipal de Saúde de São Caetano, a médica Regina Maura Zetone, disse que Givanilson tentou se matar. "Seu estado de saúde é grave. Ele foi socorrido e levado para exames. Teve traumatismo craniano e lesões múltiplas pelo corpo. Está inconsciente", disse.

Assassinada.

Segundo o boletim de ocorrência, Givanilson Valdemir de 26 anos, disse que discutiu com a namorada Paula Patrícia de Mello, e deu seis facadas nela. O exame feito no corpo da vítima pelo IML constatou que foram 21 facadas no corpo de Paula, sendo que uma delas acertou o coração.

A Polícia Civil de São Caetano do Sul também informou que Givanilson Valdemir teria ainda escorregado no sangue da vítima e se ferido na barriga com a faca do crime. O caso foi registrado como feminicídio.

Givanilson chegou a levar a namorada ao Hospital Mario Covas, mas ela não resistiu aos ferimentos.

Outro caso.

Um outro caso de feminicidio brutal também chamou a atenção no último domingo. Uma médica cubana foi morta com golpes de chave de fenda pelo marido brasileiro em Mauá. De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Militar (PM), o corpo de Laidys Sosa Ulloa Gonçalves, de 37 anos, foi encontrado enterrado numa mata perto da estrada dos Fernandes, em Ribeirão Pires, no mesmo dia.

O assassinato teria ocorrido após discussão do casal na residência onde morava, na rua Francisco Inhesta Spinosa, no Jardim Olinda.

O suspeito do crime, Dailton Gonçalves Ferreira, de 45 anos, confessou ter matado a esposa, com dez golpes de chave de fenda. Em depoimento ele disse que ouviu "vozes" pedindo para ele levar o corpo dela a um "sacrifício" num "castelo de pedras" no ABC paulista.

À Polícia Civil, o vigilante também afirmou que a mulher o pressionava e que ele teria passado mal por causa de remédios que ela deu.
(Matheus Herbert)

Tops da Gazeta