últimas notícias
Por volta das 19h, um deslizamento derrubou um imóvel na rua Ane Altomar, matando soterrados dois irmãos em Mauá
Por volta das 19h, um deslizamento derrubou um imóvel na rua Ane Altomar, matando soterrados dois irmãos em Mauá
Foto: Johnny Morais/Futura Press/Folhapress

Desabamentos que matou 4 são investigados em Mauá

A Polícia Civil de Mauá iniciou ontem a investigação das causas e dos possíveis culpados pelos desabamentos de duas casas que deixaram quatro crianças mortas no último sábado na cidade. Outras quatro pessoas ficaram feridas nos acidentes. Os dois casos foram registrados como mortes acidentais e são investigadas pelo 4º Distrito Policial (DP).

No sábado (16), um temporal com chuva e rajadas de vento provocou deslizamentos de terras em morros do Jardim Zaíra.

Por volta das 19h, um deslizamento derrubou um imóvel na rua Ane Altomar, matando soterrados os irmãos Miguel dos Santos Silva, de 7 anos, e Maria Heloísa dos Santos Sales, de 1. Os corpos deles foram encontrados pelo Corpo de Bombeiros após 10 horas de buscas.

A mãe das crianças, a auxiliar de limpeza Talita Santos, 34, que está grávida de três meses, foi retirada ferida dos escombros por vizinhos. Ela teve perda do couro cabeludo e fratura no ombro.

Outra filha dela, Tainá dos Santos Silva, 12, também foi resgata com vida da terra por voluntários. Ela teve escoriações. O marido de Talita não estava na residência no momento do desmoronamento. Mãe e filha foram encaminhas ao Hospital Nardini, em Mauá e seguem em observação e não sofrem risco de morte.

Já o segundo deslizamento aconteceu por volta das 19h10 em uma casa na avenida Cidade de Mauá, a cerca de um quilômetro da primeira ocorrência.

Os irmãos Guilherme dos Santos da Vitória, 4, e José Henrique dos Santos da Vitória, 11, morreram soterrados.

Os pais dos meninos sobreviveram ao desabamento. José Santos da Vitória e sua mulher, Aponino Rosa de Jesus, foram resgatados feridos, mas com vida. Não há informações de quem os socorreram e que ferimentos tiveram.
(GSP)

Tops da Gazeta