últimas notícias

Falta de repasse do Ministério faz bebês ficarem sem vacina

TABOÃO DA SERRA. Prefeitura aguarda a reposição da vacina feita pelo Ministério da Saúde; previsão é outubro

A vacina pentavalente, que protege contra influenza B, hepatite B, difteria, tétano e coqueluche está em falta nos postos de saúde de todo o País. Em Taboão da Serra, de acordo com a Secretaria de Saúde, não há estoque da dose que é oferecida para crianças menores de um ano. A prefeitura aguarda a reposição da vacina, feita pelo Ministério da Saúde. A previsão para isso acontecer é outubro.

"Nunca aconteceu isso, a situação ficou pior neste ano. A falta das doses começou em junho. Assim que a gente tiver o fornecimento do governo federal dessa vacina nós vamos avisar que ela chegou", disse Dra. Raquel Zaicaner, secretária de Saúde de Taboão da Serra.

De acordo com Zaicaner, o atraso nas doses não prejudica o ciclo de vacinação, mas enquanto a criança não receber as três doses, continuará desprotegida. O calendário vacinal indica que a pentavalente deve ser aplicada na criança aos 2, 4 e 6 meses. "É necessário ter as três doses, assim que chegar é para ir ao posto tomar, e a gente vai acertando o calendário da criança. A gente vai questionando o Ministério para saber como acertar o calendário. É uma situação muito nova", explica a secretária de Saúde.

Além da pentavalente, que está com o estoque "zerado" desde julho em Taboão da Serra, estão com problema de reabastecimento, de acordo com o informativo do Ministério da Saúde, as vacinas antitetânica, DTP (difteria, tétano e pertussis) e antirrábica humana. E com envio parcial estão a

anti-varicela zooster e a

tetra-viral.

Segundo o Ministério da Saúde, o governo tem "realizado todos os esforços para a regularização da distribuição das vacinas e vem, insistentemente, trabalhando com os laboratórios nos cronogramas de entrega, para reduzir possíveis impactos no país".

(Matheus Herbert)

 

Tops da Gazeta