últimas notícias
Roger Passebom Junior de 22 anos, foi espancado após confusão;  ele está internado em estado grave no Hospital das Clínicas
Roger Passebom Junior de 22 anos, foi espancado após confusão; ele está internado em estado grave no Hospital das Clínicas
Foto: REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Polícia investiga agressão de jovem em São Bernardo, no ABC

Jovem de 22 anos foi agredido quando saia de uma casa noturna, no último domingo; homofobia pode ter sido a causa

Na manhã do último domingo, um jovem de 22 anos, identificado como Roger Passebom Junior, foi espancado por um grupo de seis pessoas na saída de uma casa noturna em São Bernardo do Campo. Ele teve traumatismo craniano e está internado em estado grave no Hospital Municipal de Clínicas. O caso é investigado e o jovem pode ter sido agredido por ser homossexual.

De acordo com amigos que estavam junto com Roger, a confusão começou ainda dentro da festa. Roger estava comemorando seu aniversário de 22 anos. Ele dançava com amigos quando outros jovens, que eles não conheciam, começaram a provocá-lo. Roger teria respondido, houve uma discussão e os seguranças retiraram da festa os rapazes que começaram as provocações. Roger e os amigos continuaram na casa noturna até o fechamento do local.

Segundo Silvio Brito, tio da vítima, os agressores, junto de outras três pessoas, ficaram do lado de fora esperando que Roger e os amigos saíssem da festa e armaram uma emboscada.

Ainda segundo o depoimento do tio, os agressores começaram a atacar o amigo de Roger e depois o jovem. Amigos que estavam com Roger disseram que ele foi agredido por ser homossexual. O tio conta que, enquanto espancavam o jovem, os agressores gritavam ofensas homofóbicas. "Homossexual tem que morrer, é isso que eles falavam: homossexual tem que morrer", diz Brito.

Um dos amigos que estavam com Roger registrou um boletim de ocorrência sobre a agressão. A ocorrência foi registrada como lesão corporal, sem o agravo de homofobia.

A Secretaria de Segurança Pública informou que o 1º DP de São Bernardo do Campo instaurou inquérito para apurar o caso e que está em busca de testemunhas e imagens de câmeras de monitoramento que possam ajudar na identificação agressores.
(GSP)

Tops da Gazeta