últimas notícias
O deputado estadual Aprígio e o prefeito Fernando Fernandes
O deputado estadual Aprígio e o prefeito Fernando Fernandes
Foto: EDUARDO TOLEDO/O TABOANENSE

Em clima pré-eleitoral, Aprígio e Fernando trocam farpas

O embate entre os dois grupos políticos já é prenuncio da sucessão municipal em Taboão da Serra

Uma discussão no plenário da Assembleia Legislativa na última semana teve grande repercussão em Taboão da Serra. Os deputados estaduais Aprígio e Analice Fernandes, ambos da cidade, trocaram farpas durante a votação do Orçamento Estadual. Já nessa semana, foi a vez do prefeito Fernando Fernandes responder as acusações feitas por Aprígio durante coletiva com a imprensa.

O embate entre os dois grupos políticos já é prenuncio da sucessão municipal. A polarização até momento das candidaturas de Aprígio e de Daniel Bogalho, pré-candidato do governo que conta com o apoio da família Fernandes, deve crescer nos próximos meses com ataques e acusações.

Aprígio usou a tribuna da Alesp para criticar a política habitacional em Taboão da Serra. "Depois de certos absurdos que a gente escuta, de certas mentiras de alguns políticos da nossa região, resolvi usar a tribuna e fazer uma pergunta para a deputada Analice, se ela sabe quantas casas, o marido dela [prefeito Fernando Fernandes] construiu em oito anos que ele é prefeito e mais oito que ele teve antes".

Analice tentou intervir, dizendo que o prefeito Fernando Fernandes não é "construtor" como Aprígio, que preside a Cooperativa Habitacional Vida Nova.

Aprígio também acusou Fernando Fernandes de não ter feito "nenhuma casa em 16 anos".

Já o prefeito Fernando Fernandes disse que o deputado "talvez não conheça a minha história e nem a história da habitação em Taboão da Serra. Nos idos de 1988, com a minha participação [era vice-prefeito] foi a construção do CDHU do Parque Laguna, nós fomos recebidos no Palácio do Governo e assinamos com o governador Quércia a construção".

O prefeito relembrou ainda dos seus dois primeiros mandatos, entre 1997 e 2004, quando, segundo ele, a política habitacional passou por uma revolução. "Vários projetos habitacionais como o Sítio das Madres, 2, 3 e 4. Construímos a avenida Fernando Fernandes e removemos mais de 100 famílias que moravam em cima do córrego e transferimos para um conjunto no Jardim Saint Moritz".

Fernandes relatou outras ações como o condomínio do Parque Jacarandá e a infraestrutura do Jardim Saint Moritz.

Tops da Gazeta