últimas notícias

Grande São Paulo

Na sessão desta terça-feira, os vereadores pediram mais 10 dias de vistas para discutir a pauta
Na sessão desta terça-feira, os vereadores pediram mais 10 dias de vistas para discutir a pauta
Foto: LEANDRO BARREIRA/DIVULGACAO/O TABOANENSE

Orçamento de Taboão deve voltar para a pauta só no próximo dia 21

Sem acordo no fim do ano passado, a votação do Orçamento Municipal voltou a pauta mas ainda segue sem definição

Sem acordo no fim do ano passado, a votação do Orçamento Municipal voltou a pauta da Câmara de Taboão da Serra ontem, mas ainda segue sem definição. Durante a sessão os vereadores pediram mais 10 dias de vistas para discutirem o assunto. A ideia é que o orçamento volte a ser discutido no dia 21 de janeiro. O impasse, desde dezembro, engessa o governo que precisa administrar os gastos utilizando um doze avos da arrecadação.

Apesar de evitar demonstrar insatisfação com os vereadores, o prefeito Fernando Fernandes comentou a manobra durante uma entrevista coletiva com a imprensa no dia 20 de dezembro. "O orçamento pra mim, e pra cidade, é a lei mais importante, porque é a lei que vai dizer o que nós [prefeitura] podemos fazer. É o nosso projeto de governo", disse.

Fernandes disse que a prefeitura cumpriu todos os prazos, inclusive reenviou o orçamento com o valor de 1,2% do total para as emendas impositivas, projeto que foi aprovado pela Câmara Municipal em outubro. "Enviei o substitutivo para que não criasse impasse nenhum, porque no orçamento que enviamos no dia 30 de setembro não havia previsão para essas emendas".

Os vereadores apresentaram cerca de 70 emendas ao orçamento, entre elas as impositivas. Todas elas receberam os pareceres necessários para que as emendas tramitassem e fossem para votação em plenário.

O prefeito Fernando Fernandes alertou que a mudança através das emendas é prejudicial para o governo. "Nos preocupou muito, pois são mudanças profundas que vão trazer muitas consequências para a administração e para o andamento da cidade, projetos que já estão funcionando. Isso é a politização de uma coisa séria, estão politizando o orçamento que diz respeito a cidade".

*Com informações do Portal O Taboanense

Tops da Gazeta