últimas notícias

Leilões & Negócios

Tetracampeão Popó conquistou o cinturão na categoria superpenas em janeiro de 2002
Tetracampeão Popó conquistou o cinturão na categoria superpenas em janeiro de 2002
Foto: REPRODUÇÃO INSTAGRAM

Popó leiloa cinturão na luta contra o coronavírus

O leilão do cinturão se iniciou com o valor de R$ 20 mil e até a última quinta-feira (9) já havia recebido lances na casa dos R$ 42 mil. As ofertas podem ser feitas até o domingo (12)

A exemplo de outros esportistas, o tetracampeão mundial de boxe Acelino Popó Freitas entrou na luta contra o coronavírus. Em sua conta no Instagram, Popó colocou em leilão o cinturão da Associação Mundial de Boxe, categoria superpenas, que ganhou em 2002 na luta contra o cubano Joel Casamayor.

"É com muito carinho que eu estou fazendo o leilão deste cinturão para pessoas que têm boa condição financeira. Para a gente poder comprar mais cestas básicas. Conto com sua ajuda. Não é para mim. É para todos", disse o ex-boxeador no vídeo no qual anunciou o leilão.

O leilão do cinturão se iniciou no dia 4 com o valor de R$ 20 mil e até a última quinta-feira (9) já havia recebido lances de R$ 42 mil. As ofertas podem ser feitas até o domingo (12) na página de Popó no Instagram, onde milhares de fãs se manifestaram para parabenizar a atitude do tetracampeão. "Campeão do povo! Ídolo dentro e fora do ringue", disse um. "Se eu tivesse dinheiro, arrematava e devolvia para você. É merecedor!", escreveu outa.

O dinheiro arrecadado será usado na compra de cestas básicas para a população mais carente de Salvador, onde o ex-atleta mora. Segundo a Agência Brasil, desde o início da pandemia, Popó tem participado de várias ações solidárias. "Tenham certeza que é a minha obrigação. Pelas noites perdidas por vocês, pelos ingressos comprados para acompanhar as minhas lutas. Eu sei que não é muito. Mas espero que esse pouco que eu estou fazendo seja muito para alguém", disse o lutador.

Até a última quinta-feira (9), todos os estados brasileiros já haviam registrados casos de coronavírus (Covid-19), sendo que o número de infectados ultrapassava 16 mil, segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde. Em 24 horas, foram mais de 2.200 novas confirmações e o número de óbitos ultrapassava 800.

Comentários

Tops da Gazeta