últimas notícias
Para participar do projeto é preciso fazer um processo seletivo, disponível no site da instituição
Para participar do projeto é preciso fazer um processo seletivo, disponível no site da instituição
Foto: John Schnobrich/Unsplash

Programa quer formar empreendedores sociais

Com 100 vagas abertas, o projeto 'Escola de Impacto' tem início este mês e será aplicado em dois anos

A pandemia fez surgir nas rodas de conversas alguns assuntos como a importância da empatia e da solidariedade. E é exatamente valores como esses que o projeto Escola de Impacto espera despertar em jovens de 14 a 18 anos, provenientes de escolas privadas e de programas de jovens aprendizes de todo o Brasil.

"Queremos ver cada vez mais jovens engajados em causas relevantes, de propósito social que possam agregar valor em setores que necessitam de atenção no nosso país. Ao participar da Escola de Impacto, esses adolescentes poderão conhecer a realidade de muitos brasileiros e desenvolver projetos para ajudar aqueles que mais precisam e ajudar a si mesmos, tornando-se futuros empreendedores sociais", diz Carolina Videira, idealizadora da Turma do Jiló, uma das instituições que apoiam a iniciativa.

Com 100 vagas abertas, o programa tem início este mês e será aplicado em dois anos. No primeiro, os grupos participação de oficinas online de temas como direitos humanos, desigualdade social, racismo, entre outros. No ciclo seguinte, eles colocarão em prática o que aprenderam ao desenvolverem projetos de impacto social.

Para participar do projeto é preciso fazer um processo seletivo, disponível no site da instituição. A iniciativa será financiada por empresas parceiras e será corado R$ 300 ao mês dos alunos de escolas particulares.

Comentários

Tops da Gazeta