últimas notícias
Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep) é uma das 17 instituições do Grupo Educação Metodista
Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep) é uma das 17 instituições do Grupo Educação Metodista
Foto: Reprodução Instagram

Grupo Educação Metodista leva a leilão 16 imóveis

Medida foi proposta no plano de recuperação judicial do Grupo e inclui os prédios da Universidade em São Bernardo do Campo e Santa Bárbara D’Oeste

Na última sexta-feira (9), o Grupo Educação Metodista, dono de 17 instituições de ensino, decidiu levar a leilão 16 imóveis, incluindo o campus Vergueiro da Universidade Metodista de São Paulo, em São Bernardo do Campo, e o campus da Universidade Metodista de Piracicaba, em Santa Bárbara D’Oeste, no interior paulista. As informações são do jornal O Globo.

De acordo com a publicação, a medida faz parte do plano de recuperação judicial da empresa e a estimativa é de que o valor dos ativos supere R$ 445 milhões. Além dos prédios em São Paulo, há imóveis no Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Pará.

Leia Mais

Com bens de bicheiro, Ministério da Justiça faz maior leilão da história

Em recuperação judicial desde maio deste ano, o dinheiro arrecadado com o futuro leilão deve ser utilizado para o pagamento de dívidas, que ultrapassam os R$ 500 milhões. A maior parte dos credores trabalhistas, cerca de 90%, deve receber o valor integral de seus créditos. Entretanto, o pagamento parcelado, entre outros detalhes, faz com que o plano de recuperação judicial seja alvo de críticas por parte de funcionários e ex-funcionários.

Os problemas da Universidade Metodista começaram há seis anos, em 2015, quando o Grupo deixou de depositar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) dos trabalhadores. Dois anos mais tarde, a instituição passou a atrasar salários e, hoje, apenas quem ganha até R$ 5 mil por mês recebe de forma integral e na data correta. Além disso, no período, a instituição perdeu muitos alunos, passando de 57,7 mil estudantes em 2015, para 19 mil, atualmente.

A Gazeta procurou a Universidade para saber quem serão os responsáveis pelo leilão mais detalhes do certame, porém recebeu a seguinte nota: “O plano de recuperação judicial da Educação Metodista prevê a venda de imóveis que não estão sendo utilizados para atividades educacionais. As negociações ocorrem sob confidencialidade. Cabe ressaltar, que não haverá prejuízo e nem impacto aos estudantes, pois as aulas continuam ocorrendo normalmente.”

Comentários

Tops da Gazeta